Há um novo player de trotinetes em Lisboa. A Superpedestrian lançou esta semana a frota de trotinetes LINK na capital portuguesa, as quais se caracterizam por uma maior robustez e resistência e mais sistemas de segurança.

A LINK é 20% mais larga e 9% mais comprida do que a média da indústria, com guiador e suspensão dianteira mais largos, proporcionando uma experiência de condução muito mais estável.

Até 135 kg de peso

A frota lisboeta é gerida por João Afonso, que faz agora parte da equipa da Superpedestrian, depois de quatro anos como consultor de estratégia e operações na Deloitte.

“A nossa trotinete foi concebida para um condutor com peso até 135 kg e é mais comprida e mais larga que os modelos alternativos, de forma a que seja possível colocar os dois pés na plataforma, confortavelmente”, afirma João Afonso.

Sabia que…
… a trotinete LINK já foi apelidada de “o Volvo das e-scooters” pelo jornal Boston Globe, devido à sua robustez de construção e recursos avançados de segurança ativa?

O responsável da empresa aproveita o facto de ter sido jogador de râguebi para sublinhar que “esta é uma trotinete segura e estável para qualquer pessoa, independentemente do tamanho, mesmo para jogadores de râguebi! Nós desenhámos e projetámos as nossas trotinetes de forma a garantir a sua durabilidade. Os condutores lisboetas merecem o melhor veículo disponível, e é isso que lhes queremos dar”.

Para João Afonso a mais-valia das LINK é, precisamente, a sua robustez, sendo trotinetes especialmente adaptadas às irregularidades das pedras da calçada portuguesa, já que as suas características permitem que não vibrem tanto quando rolam.

Em termos de autonomia, as trotinetes LINK têm uma bateria que permite alcances de 98 km.

trotinetes
Depois de Itália, Espanha, Áustria e Suécia, as LINK chegam a Portugal.

Número de veículos disponíveis

A Superpedestrian lança agora as primeiras 1.000 trotinetes em Lisboa e anuncia já o aumento da sua frota até 1600 trotinetes, até ao final do mês.

A colocação de mais trotinetes nas ruas de Lisboa durante o ano será feita, mediante aquilo que o mercado for pedindo, refere João Afonso.

Como alugar?

Para alugar uma trotinete, os passageiros precisam apenas de descarregar a aplicação “LINK” da Superpedestrian na Google Play Store ou Apple Store.

Quanto custa?

A taxa de viagem por minuto é de 15 cêntimos e o serviço Superpedestrian está disponível 24 horas por dia, sete dias por semana.

Todos os passageiros terão desbloqueio gratuito até dia 30 de junho de 2021 e a Superpedestrian irá igualar cada euro que os passageiros carregarem nas suas “wallets” durante o mesmo período.

Após 1 de julho, o desbloqueio das trotinetes LINK terá um valor igual ao da concorrência, ou seja, à volta de um euro.

trotinetes

Quinto lançamento europeu

Sobre a Superpedestrian

A Superpedestrian é uma referência mundial em robótica de transporte e mobilidade à escala humana. “Separamo-nos do MIT em 2013 e possuímos mais de 35 patentes em Inteligência Artificial (IA) e tecnologias de veículos elétricos. Lançámos a nossa divisão de mobilidade partilhada em 2020. A nossa trotinete com propriedade partilhada, LINK, está presente em mais de 30 cidades em cinco países”, refere a empresa.

“Estou muito orgulhosa por a Superpedestrian trazer as trotinetes LINK para Portugal,” comenta Haya Verwoord Douidri, VP (EMEA) da Superpedestrian.

Este é o quinto lançamento europeu da LINK. “Assim como em Itália, Espanha, Áustria e Suécia, estou confiante de que os lisboetas vão adorar a nossa qualidade de construção e segurança. Paralelamente, também iremos trazer opções mais acessíveis e menos dispendiosas para todos os lisboetas”.

trotinetes
Esta nova marca de trotinetes nasceu nos EUA, no MIT. Aqui uma imagem de Nova Iorque

Trotinetes com auto-deteção e autoproteção

A trotinete LINK apresenta o sistema patenteado “Vehicle Intelligent Safety System” (VIS) da Superpedestrian. Esta rede de sensores, microprocessadores e Inteligência Artificial (IA) executa 1000 verificações do estado do veículo a cada segundo, durante a viagem, e adapta a performance de forma a evitar problemas (como por exemplo o sobreaquecimento das baterias); notifica a central de operações imediatamente, se por acaso a trotinete não estiver na vertical (através da deteção de queda) e deixa a trotinete inoperacional se detetar alguma das 140 falhas de segurança possíveis (incluindo problemas eletrónicos, de bateria, motor ou travões).

De forma mais simples, o sistema VIS realiza continuamente uma radiografia completa da trotinete, sempre que estiver ativa.

“Quando falamos em padrões de mobilidade partilhados, este é um grande passo em frente na segurança das trotinetes, assim como o cinto de segurança foi para os carros. Também operacionaliza os nossos sistemas de segurança de peões líderes mundiais, como a aplicação geofence de reação mais rápida”, salienta a empresa.

Tal como em vários modelos automóveis com atualizações Over-the-Air, a LINK tem, igualmente, um sistema operativo que é atualizado por wireless. Cada atualização traz um melhor alcance, desempenho e recursos de segurança.

As LINK têm, igualmente, três tipos de travões: um na roda dianteira, outro na roda traseira e um terceiro elétrico que atua quando se desacelera (tal como nos automóveis elétricos).

trotinetes

Alta visibilidade em todas as condições meteorológicas

Ainda em matéria de segurança, estas novas trotientes garantem boas condições de visibilidade: luzes LED de grande intensidade (dianteiras e traseiras) que estão sempre acesas; uma luz traseira que ilumina durante a travagem; um sistema de informação de anel de luz LED exclusivo no guiador; e a cor amarela da pintura reforçam a visibilidade de quem circula, de dia ou de noite.

Proteção de espaços públicos

Os responsáveis da empresa enfatizam a capacidade de armazenar mapas e comandos de geofence na própria trotinete.

“Com a informação de 24.000 zonas mapeadas e um tempo de resposta de apenas 0,7 segundos, a LINK protege tanto os peões como os condutores das trotinetes. O sistema de geofence ajuda-nos a manter as nossas trotinetes longe de áreas de estacionamento proibido como a Praça do Comércio, Rua da Prata, Rua Augusta e Rua Áurea, em linha com os requisitos da cidade, e torna mais fácil para nós incorporarmos as 100 zonas de estacionamento recomendadas da cidade”, refere a empresa.

Cidades do interior em estudo

A boa aceitação da LINK junto do público nos primeiros dias de operação, de acordo com João Afonso, deixa os seus responsáveis a acreditar num promissor crescimento.

Assim, com a LINK a estrear-se no mercado português em Lisboa, os planos da empresa vão no sentido de poder chegar a mais localidades nacionais.

Ao Watts On, João Afonso afirma que, além das grandes cidades portuguesas, as LINK podem ser especialmente interessantes em cidades mais pequenas, também no interior do país, algo que permitiria descentralizar o conceito de micromobilidade muito associado aos grandes centros metropolitanos.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of