Entre os dias 17 e 23 de maio, a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) lança uma campanha que tem como objetivo sensibilizar e envolver os cidadãos para a importância e os benefícios de se redesenharem e adaptarem as ruas urbanas para que os limites de velocidade sejam de 30 km/h.

A campanha “Compromisso 30 – Ruas com vida” está inserida na 6ª Semana Mundial da Segurança Rodoviária, da Organização das Nações Unidas (ONU) que este ano é dedicada ao tema “Ruas para a vida: porquê #love30?”.

“O excesso de velocidade é um dos principais problemas da segurança rodoviária, aumentando o risco de acidente e gravidade do mesmo. A velocidade é fator chave em 30% dos acidentes mortais”, salienta a ANSR.

A velocidade a que os veículos circulam é especialmente determinante para minimizar a gravidade das lesões dos utentes vulneráveis, como os peões e os ciclistas, em situações de atropelamentos.

Espanha já decidiu reduzir limite

A pensar nisso, desde o passado dia 11 de maio, Espanha decidiu reduzir já o limite de velocidade de grande parte das artérias urbanas, passando dos 50 km/h para os 30 km/h, uma medida que afeta cerca de 70% das ruas espanholas.

No caso espanhol, a medida abrange as ruas de sentido único; ruas com apenas uma via de circulação para cada sentido; ruas que tenham duas vias de circulação em que uma delas seja reservada a transportes públicos.

E por cá?

Por cá, a ideia é também generalizar nas áreas urbanas os limites de velocidade de 30 km/h que já existem em alguns bairros, como forma de parar os atropelamentos fatais.

Em 2020, registaram-se 3.528 atropelamentos em Portugal, dos quais 59 resultaram em morte, 290 em ferimentos graves e 3.441 em ferimentos leves.

Dados do European Safety Council (ETSC) indicam que numa colisão entre um veículo e um peão, a probabilidade de o peão sobreviver é de 90% se o veículo circular a 30 km/h, descendo para 20% se o veículo circular a 50 km/h.

A 6ª Semana Global de Segurança Rodoviária da ONU 2021, que será assinalada durante de 17 a 22 de maio, tem como tema “Streets for Life” ou “Ruas para a Vida”. A iniciativa defende os limites de 30 km/h (#Love30).

Lisboa, distrito com maior sinistralidade

Considerando que Lisboa continua a ser o distrito com maior sinistralidade rodoviária, tendo registado, no ano de 2020, 12 vítimas mortais em consequência de atropelamentos, esta campanha será implementada em parceria com a Câmara Municipal de Lisboa (CML), a Companhia Carris de Ferro de Lisboa (Carris) e a Polícia Municipal de Lisboa (PML).

Para alertar os condutores para a importância de reduzirem a velocidade a que circulam, em particular nas zonas com presença de peões, mas também para sensibilizar os peões para o cuidado de “verem e serem vistos”, a campanha “Compromisso 30 – Ruas com vida” integrará 14 ações de sensibilização em vários locais da cidade de Lisboa.

A Campanha de Segurança Rodoviária “Compromisso 30 – Ruas com vida” assinala o início da 2ª Década de Ação da Segurança Rodoviária que tem como objetivo a redução de pelo menos 50% de mortos e feridos em consequência de um acidente rodoviário com base na abordagem do Sistema Seguro e na Visão Zero.

Salienta a ANSR que as consequências dos acidentes mais graves podem ser evitadas através da adoção de comportamentos seguros na estrada, quer por parte dos condutores, quer por parte dos peões.

“Só com o envolvimento de toda a sociedade será possível diminuir a sinistralidade rodoviária em Portugal até ao único número aceitável de vítimas mortais nas estradas: Zero!”, diz a ANSR.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of