A partir deste sábado, a Peugeot disponibiliza na sua rede de concessionários em Portugal o novo 508 Peugeot Sport Engineered (PSE), o primeiro produto da nova divisão de elevada performance da marca francesa que irá ser responsável pela introdução de versões PHEV mais desportivas.

Com a variante híbrida plug-in de 360 cv a chegar ao mercado, a Peugeot organizou uma ronda de imprensa para dar a conhecer este 508 PSE.

Durante essa ação, distribuída por três dias para garantir o cumprimento das regras sanitárias por causa da COVID-19, os “media” puderam ter um primeiro contacto dinâmico com o modelo.

O Watts On também teve essa oportunidade. Na apresentação estavam disponíveis as duas versões de carroçaria, a carrinha e a berlina. Nós guiámos a berlina.

O que é este 508 PSE?

O 508 Peugeot Sport Engineered é o automóvel de série mais potente de sempre da marca gaulesa. Em termos espirituais, é uma espécie de herdeiro do 406 Turbo (da segunda metade da década de 1990) com 150 cv extraídos de um quatro cilindros em linha com 1998 cc a gasolina. Mas os tempos são outros e as exigências ambientais impõe a adoção da eletrificação.

Em termos mecânicos, o modelo conta com um grupo motopropulsor com uma potência máxima de 360 cv e com 520 Nm de binário, valores alcançados pela combinação de um propulsor sobrealimentado a gasolina PureTech de 1.6 litros de 200 cv e de dois motores elétricos: um dianteiro com 81 kW (110 cv) de potência máxima; e um motor elétrico traseiro, com uma potência máxima de 83 kW (113 cv).

A nova linha de produtos de elevada performance ecológica na Peugeot passa a ser a Sport Engineered, a qual sucede à assinatura “by Peugeot Sport”.

A tração é às quatro rodas com a potência a ser transmitida através de uma caixa automática de oito velocidades (e-EAT8).

A bateria tem 11,8 kW e o carregador embarcado é de 3,7 kW.

Que prestações apresenta?

O 508 PSE acelera dos 0-100 km/h em 5,2 segundos; e dos 80 aos 120 km/h em 3 segundos. Os 1000 metros com arranque parado são cumprimentos em 24,5 segundos, atingindo o modelo uma velocidade máxima de 250 km/h (com limitador eletrónico).

Que consumos assinala?

De acordo com a marca, esta versão de elevada performance está homologada segundo o protocolo WLTP com 46 g de CO2/km, o equivalente a 2,03 l/100 km de consumo.

O que tem de diferente face a um 508 “normal”?

Este 508 PSE não é só motor. Esta versão tem uma menor altura ao solo, vias ampliadas (em 24 mm na frente e 12 mm na traseira), discos de travões dianteiros com 380 mm de diâmetro e pinças fixas de quatro pistões e jantes de 20 polegadas de diâmetro com pneus Michelin Pilot Sport 4S.

As três garras deste 508 são identificativas da nova griffe Peugeot Sport Engineered.

E depois tem toda a parte decorativa que o tornam especial e mais atraente do que a mais sóbria versão PHEV do 508: lâminas aerodinâmicas, grelha específica, 3 garras PSE em diferentes zonas da carroçaria e no volante, jantes específicas 20’’, pinças de travão Peugeot Sport, saídas de escape e flaps traseiros específicos e soleiras de portas em alumínio anodizado com gravação “PSE”. Há também vários elementos (como as próprias pinças do travão) numa cor verde fluorescente a que a marca apelida de Kryptonite.

No que concerne ao equipamento, o 508 PSE é baseado no GT Pack, ao qual são adicionados outros itens como alarme perimétrico, volumétrico e com função anti-elevação, Night Vision, Park Assist, jantes de liga leve de 20”, estofos em Alcantara e couro preto e decorações do painel de bordo e painéis das portas em madeira com efeito essência de Zebrano.

Por dentro, há um dado interessante: os 508 PSE (berlina e SW) mantêm os mesmos volumes de habitáculo e de bagageira (acima do piso) das correspondentes versões térmicas.

Como é a dinâmica?

Em termos dinâmicos, o 508 PSE assenta numa lógica de desempenho eficiente. Garante prestações com baixas emissões e é um veículo com boa capacidade de aceleração sem ser “guloso”.

Quem gostar de sentir o efeito das costas repentinamente coladas ao banco, basta premir a fundo o pedal direito. Embora não seja um desportivo (é antes um familar com personalidade desportiva e “look” irreverente), o músculo deste familiar faz-se notar.

Em modo elétrico, o veículo é suave e silencioso. Quando o modo elétrico está selecionado, a potência do veículo é, aliás, mais comedida, estando limitada a 140 cv nesse cenário e a uma velocidade máxima de 130 km/h. A partir daí, entra o motor térmico a plenos pulmões.

O sistema de travagem regenerativa “i-Booster” é eficiente, recuperando a energia durante a travagem e a desaceleração, o que possibilita o recarregamento da bateria de alta voltagem.

O pisar do modelo, patente na afinação da suspensão, é firme, pelo que se o condutor desejar um ajuste mais soft e confortável (o que se aconselha para viagens em família), será conveniente escolher o modo Comfort.

Quantos modos de condução tem?

Estão disponíveis cinco modos de condução, acionados diretamente no seletor de modos na consola central:

Eletric: para percursos em modo 100% elétrico e em total silêncio, com uma autonomia de 46 km;

Comfort: modo Hybrid com as suspensões mais suavizadas para deslocações em “maior conforto”;

Hybrid: modo que seleciona automaticamente a propulsão térmica ou elétrica, em função das circunstâncias;

Sport: potência máxima de 360 cv. Este modo também atua sobre a direção, o amortecimento, o mapeamento do pedal do acelerador e a coloração digital do motor. O motor térmico garante a carga de bateria para que a potência máxima esteja sempre disponível.

4WD: motricidade máxima para situações de aderência precária. Neste modo, a velocidade está limitada a 190 km/h.

Quanto custa?

A alteração introduzida no início do ano em sede do Imposto Sobre Veículos (ISV) para os híbridos Plug-in colocou o 508 PSE numa posição menos favorável. Isto porque a lei veio determinar que os benefícios fiscais dos híbridos passavam apenas a recair em veículos que tivessem, simultaneamente, uma autonomia mínima, no modo elétrico, de 50 km e emissões oficiais inferiores a 50 g CO2/km.

O 508 PSE está disponível em três cores de carroçaria: Cinzento Selenium, exclusivo do modelo e de série; e os opcionais tons Preto Perla Nera e Branco Nacré. O veículo que guiámos era em Cinzento Selenium.

Ora, o 508 PSE só cumpre um destes dois critérios (o das emissões). O modelo não respeita o critério da autonomia, pois garante 46 km, em vez dos exigíveis 50 km mínimos.

Isto significa que a hipótese de beneficiar de uma redução no ISV de 75% caiu por terra.

Ainda assim, considerando que os clientes empresariais podem deduzir na íntegra o IVA, o modelo (em ambas as versões de carroçaria) apresenta-se abaixo dos 50 mil euros para empresas, o tipo de clientela que irá comprar esmagadoramente o veículo, na previsão da marca.

Esta é a gama de preços:

Preços Berlina (versão testada) SW
       
Para particulares Para empresas
(sem IVA)
Para particulares Para empresas
(sem IVA)
508 Peugeot Sport Engineered €68.795 €47.974 €70.295 €49.528

Em síntese

O 508 PSE é um modelo que representa um verdadeiro “Halo Effect” para a gama 508 e para a própria Peugeot. É um veículo com qualidade de construção, visualmente atraente, levando o construtor para um novo território de performance (com os seus 360 cv) ambientalmente responsável (com a sua motorização Plug-in). Apesar não conseguir a plenitude das reduções no ISV por ter uma autonomia em modo elétrico inferior a 50 km, a possibilidade de deduzir na íntegra o IVA torna-o tentador para alguns clientes empresariais que, privilegiando a imagem, conseguirão adquirir este modelo “premium” por quase menos 21 mil euros do que um particular.

Ficha técnica

Peugeot
508 Peugeot Sport Engineered

Híbrido Plug-in a gasolina

Detalhes

Motor a gasolina

  • Cilindrada (cc): 1598
  • Potência máxima (cv): 200/6000 rpm
  • Binário máximo (Nm)/rpm: 300/3000 rpm
  • Número de válvulas: 16
  • Número de cilindros: 4
  • Intervalo de manutenção: 30.000 km ou 1 ano
  • Norma de emissões: Euro 6d

Motores elétricos

  • 1 à frente e 1 atrás
  • Potência máxima motor da frente: 81 kW (110 cv);
  • Potência máxima motor traseiro: 83 kW (113 cv)
  • Binário máximo: 320 Nm (motor à frente); 166 Nm (motor atrás)

Bateria

  • Capacidade da bateria: 11,8 kWh
  • Autonomia elétrica WLTP: 56 km
  • Tempos de carregamento da bateria de 0 a 100%:
    • 7 horas (tomada doméstica 8A e carregador de 3,7 kW)
    • 4 horas (tomada reforçada de 14A e carregador de 3,7 kW)
    • 1 h 45 m (Wallbox de 32A e carregador de 7,4 kW em opção)

Transmissão

  • Tipo: automática/4 rodas motrizes
  • Número de relações: 8 (caixa e-EAT8)

Performances

  • Aceleração 0-100 km/h (segundos): 5,2 segundos
  • Velocidade máxima (km/h): 250
  • Potência total: 360 cv
  • Consumo misto WLTP: 2 l/100 km
  • Emissões misto CO2 WLTP (g/km): 46

Mais informações sobre todos os automóveis elétricos e híbridos plug in na nossa secção de mercado.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of