A empresa de iluminação Signify apresentou o programa Green Switch para contribuir para a concretização dos objetivos definidos pela União Europeia no Green Deal para fazer face às alterações climáticas.

Para Josep M. Martínez, Presidente e Diretor Geral da Signify para Espanha e Portugal, “a iluminação conectada pode ser um grande aliado, oferecendo poupanças energéticas e conectando dispositivos e pessoas nos locais onde vivemos, trabalhamos ou passamos momentos de lazer”.

Considerando as cinco iniciativas emblemáticas definidas no Green Deal, a Signify explica de que modo é que, num contexto de alterações climáticas, a iluminação pode representar um caminho rápido para uma União Europeia mais próspera, verde e digital.

Consumo energético de edifícios

A Signify frisa que os edifícios são o principal consumidor de energia da Europa. Representam 40% do consumo energético e 36% das emissões de gases de efeito de estufa.

“Reduzir este consumo é a chave para alcançar uma pegada de carbono neutro na Europa e a forma mais fácil de o conseguir é através da renovação do parque de edifícios construído. Melhorar a iluminação LED e conectada melhora a eficiência energética, reduz as emissões e prepara o ambiente para enfrentar os desafios futuros”, aponta a empresa.

Energias renováveis

Alcançar os objetivos da UE passa também pela descarbonização do sistema energético. Mais de 75% das emissões de gases com efeito de estufa da UE provêm da produção e utilização de energia. Apostar nas energias renováveis, na melhoria da eficiência energética e na promoção das tecnologias conectadas ajudam neste processo.

“Aproveitar o poder da luz solar através da iluminação solar e híbrida pode minimizar as emissões e reforçar o uso de energias renováveis. 15 luminárias solares poupam energia suficiente para alimentar um carro elétrico ou uma casa durante um ano”, destacam estes especialistas.

15 luminárias solares poupam eletricidade suficiente para alimentar um veículo elétrico ou um agregado familiar durante um ano. Fonte: Signify
A tecnologia solar híbrida utiliza a eletricidade alimentada por energia solar quando há luz solar e quando não há recorre à rede elétrica. Fonte: Signify

Economia circular

O ritmo atual de consumo de recursos significaria estar a consumir o equivalente aos recursos de três planetas Terra até 2050.

iluminação

Na transição para um modelo de sociedade com enfoque na reutilização e regeneração, a Signify refere que com a iluminação LED conectada circular nas empresas, cidades e lares, a Europa pode alcançar enormes economias de energia: até pode eliminar a necessidade de construir novas centrais elétricas.

A empresa dá o exemplo das suas luminárias 3D que “têm uma pegada de carbono 47% mais baixa do que as luminárias metálicas tradicionais e podem ser devolvidas no fim da vida útil para reciclagem e reimpressão”.

Mobilidade limpa

O impacto dos transportes nas emissões de gases de efeito de estufa é largamente conhecido. Os veículos mais poluentes são os automóveis e camiões, que representam 72% das emissões nos transportes, pelo que a descarbonização dos transportes rodoviários é outra das prioridades do Green Deal.

Nesse capítulo, a Signify defende no seu Green Switch, a instalação de pontos de carregamento na iluminação pública, algo que, “juntamente com a renovação do ambiente construído, configura uma base energeticamente eficiente para apoiar a mobilidade elétrica”.

“A economia de energia realizada graças à iluminação pública LED e aos edifícios inteligentes pode equilibrar o aumento da carga elétrica, mantendo os custos baixos e evitando a necessidade de produzir eletricidade adicional”, declara a Signify.

Biodiversidade

Outro dos grandes consumidores de recursos é a produção de alimentos, para além de ser um grande emissor de gases de efeito de estufa. Neste sentido, o caminho a seguir, refere a Signify, passa pela alteração para modelos de produção mais sustentáveis: “A produção sustentável de alimentos, assegura alimentos frescos e saudáveis para todos enquanto limita o seu impacto climático e assegura retornos económicos justos para os produtores e agricultores. A transição para este método de produção sustentável de alimentos pode reduzir as emissões e restaurar a biodiversidade conservando a terra e os recursos naturais”.

iluminação

De acordo com estes especialistas, a iluminação pode também neste domínio dar o seu contributo, com a Signify a dar como exemplo a sua oferta de iluminação especificamente concebida para métodos de produção de alimentos mais rentáveis e sustentáveis, tais como a horticultura em estufa, a agricultura vertical e a aquicultura sustentável. “As nossas receitas de luz LED com base científica ajudam a incrementar o rendimento, aumentam a previsibilidade e melhoram a qualidade das plantas, enquanto a nossa iluminação LED para crescimento consome até 50% menos eletricidade do que as opções convencionais”.

Segundo esta empresa, a iluminação para a aquicultura pode levar ao aumento do rendimento e à melhoria da conversão alimentar e do bem-estar dos animais.

Conclui a Signify que “é necessário agir com decisão. Porque fazer frente às alterações climáticas não pode esperar. Temos a tecnologia, os recursos económicos e a ambição de construir um futuro melhor, mais sustentável e próspero”.

“Perante os grandes desafios que nos surgem, como as alterações climáticas, a crise económica e sanitária ou o crescimento populacional num mundo com recursos limitados, temos uma oportunidade única de transformar a nossa sociedade e economia num futuro mais verde e digital”, afirma Josep M. Martínez, Presidente e Diretor Geral da Signify para Espanha e Portugal.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of