A United Colors of Benetton deu asas à imaginação e construiu uma loja totalmente inovadora e, acima de tudo, sustentável. Trata-se de um espaço com 160 metros quadrados, concentrados num único piso, que serviu para a empresa italiana dar uma nova vida a materiais naturais reciclados. Florença, cidade italiana, foi a localização escolhida pela marca para instalar este seu novo ponto de vendas.

O cascalho do rio Piave, assim como os restos de madeira das faias derrubadas pela tempestade de Vaia, foram transformados no pavimento desta loja. Além disso, a Benetton teve o cuidado de usar tintas minerais nas paredes do edifício, protegendo as mesmas contra bactérias, bolores e outros poluentes presentes no meio ambiente.

A sustentabilidade da nova loja Benetton está igualmente presente no interior da mesma. Prova disso são as plataformas perimetrais e as bases dos expositores feitas de botões usados, misturados com hidrorresina. Foi esta a forma que o grupo, ligado à indústria da moda, encontrou para dar uma nova “vida” a elementos tão difíceis de eliminar como os botões.

A criatividade da United Colors of Benetton permitiu ainda que lã reciclada, em estado de mecha crua, fosse reutilizada como desenho no revestimento perimetral. Bem como em decoração das cortinas dos provadores. Já as estantes e manequins deste novo ponto de vendas, foram feitas à base de rossino. Um material composto por fibras têxteis mistas recicladas.

Podemos assim afirmar, tendo em conta os dados acima apresentados, que “os interiores da loja foram produzidos com novos materiais criados pela integração de resíduos da indústria têxtil”.

Sustentabilidade, até no consumo energético

Além do uso de materiais sustentáveis, o novo conceito de loja apresentado pela Benetton em Florença é igualmente caracterizado pelos seus fortes recursos tecnológicos. Nomeadamente “tecnologias de vanguarda para economia de energia”. Dessa forma foi possível expandir-se a sustentabilidade do espaço a elementos como as vitrinas, por exemplo.

Na nova loja Benetton, em Florença, as vitrinas foram substituídas por painéis transparentes fixados ao teto. Os referidos painéis podem ser deslocados, adaptando-se mais facilmente às necessidades dos utilizadores. Além disso, as mudanças aplicadas às vitrinas acabaram por ajudar “a criar uma espécie de cenário teatral que conecta a loja com a rua”.

Segundo explica a Benetton em comunicado, “as vitrinas são equipadas com ecrãs LED transparentes, de baixo impacto ambiental”. Nos quais “serão projetados conteúdos de vídeo dedicados com base nas necessidades do momento em matéria visual, comercial e de comunicação”. 

Não podemos deixar de referir também que a empresa italiana apostou em sensores minúsculos, inteligência artificial e análise de dados. A partir daí foi concebido um sistema que permite “maximizar a eficiência energética dos pontos de venda”. Bem como “garantir o conforto do cliente, gerindo automaticamente os sistemas em função do afluxo de pessoas”, acrescenta a United Colors of Benetton em comunicado. 

Como resultado de todos os cuidados tidos aquando da construção da nova loja de Florença, a Benetton alcançou uma redução de cerca de 20% no seu consumo energético. Isto tendo como elemento de comparação o consumo energético das lojas padrões do grupo.

O novo conceito de loja  

Tal como já deu para perceber pela descrição que lhe temos vindo a fazer ao longo do artigo, esta não é uma loja qualquer. Pegando nas palavras da Benetton, “trata-se de um novo conceito de loja, que se candidata a ser um verdadeiro precursor de uma nova abordagem ao retalho com baixo impacto ambiental”.

O novo espaço comercial do grupo, localizado em Florença, faz parte de um grande projeto de sustentabilidade. Projeto esse que a United Color of Benetton implementa com o intuito de “consolidar boas práticas, melhorar o seu desempenho ambiental e social em toda a cadeia de abastecimento”.

Para já, a Benetton pode orgulhar-se por ser responsável por aquela que é “a primeira loja com um conceito baseado em materiais reciclados e de última geração para economia de energia”. Contudo, o grande objetivo da empresa italiana é “tornar-se um modelo em Itália e em todo o mundo, no que diz respeito à moda sustentável”. 

A determinado momento o grupo refere que este seu novo espaço comercial pode ser considerado “um ponto de referência para o retalho do futuro, que receberá coleções cada vez mais sustentáveis”.

As referidas coleções serão compostas por “peças de vestuário feitas de algodão orgânico, reciclado ou BCI (Better Cotton Initiative), nylon regenerado, fibras naturais como o linho e outros materiais sustentáveis”. Os produtos adquiridos são entregues aos clientes em sacos de algodão orgânico, lavável e infinitamente reciclável, ou de papel de florestas FSC (Forest Stewardship Council).

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of