No evento mundial em que deu a conhecer o seu novo modelo 100% elétrico, o C40 Recharge, a Volvo reiterou o seu objetivo de vir a ser uma empresa com impacto climático neutro até 2040.

Até alcançar essa meta, a Volvo Cars pretende reduzir a pegada de carbono associada ao ciclo de vida de cada automóvel, sendo que a transição para a eletrificação faz parte desse plano climático, tendo sido assumido que em 2030 a marca só comercializará viaturas novas 100% elétricas.

“Enquanto fornecedor de mobilidade, a Volvo Cars reconhece que faz parte do problema das alterações climáticas e entende ter a responsabilidade de agir”, assume o construtor.

Como medida intercalar, até 2025, a empresa pretende reduzir em 40% a pegada de carbono associada a cada modelo. Para isso, pretende reduzir:

► 50% ao nível das emissões de escape dos automóveis;

► 25% ao nível das matérias-primas e fornecedores;

► e 25% no total das operações relacionadas com a logística.

Ao nível das suas unidades produtivas, a Volvo Cars pretende ter um impacto climático neutro já em 2025.

Atualmente, as unidades produtivas da empresa são já alimentadas por mais de 80% de eletricidade com impacto neutro no clima. Todas as fábricas europeias são, desde 2008, já alimentadas com energia hidroelétrica.

Tecnologia Blockchain – rastreio global do cobalto

A Volvo Cars salienta o facto de ser o primeiro construtor automóvel a implementar um rastreio global do cobalto utilizado nas suas baterias através da aplicação da tecnologia blockchain.

“O rastreio das matérias-primas como o cobalto, utilizadas na produção de baterias de iões de lítio, é, atualmente, um dos principais desafios de sustentabilidade enfrentado pela indústria automóvel, estando a Volvo Cars comprometida com o seu rastreio total. Desta forma, a marca pretende assegurar uma transparência total aos seus clientes para que estes possam conduzir os veículos eletrificados sabendo que o material utilizado nas suas baterias foi sempre obtido de uma forma responsável”, afirma o construtor.

A tecnologia Blockchain, que estabelece uma rede de partilha de dados de confiança, aumenta significativamente a transparência da cadeia de fornecimento de matérias-primas, pois as informações sobre a origem do material não podem ser alteradas sem que isso seja detetado.

Materiais reciclados em todos os automóveis

Para a Volvo, uma das ambições relacionadas com a economia circular consiste em aumentar, significativamente, a percentagem de materiais reciclados e sustentáveis nos automóveis até 2025.

As metas definidas pelo construtor nórdico envolvem o incremento de: 25% de plástico reciclado, 40% de alumínio reciclado e 25% de aço reciclado.

“O Volvo C40 Recharge será o primeiro modelo da marca sem qualquer componente em pele de origem animal”, exemplifica a marca.

Os bancos do novo C40 Recharge não têm couro

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of