O Vasco da Gama CoLab é um laboratório colaborativo focado nas tecnologias de armazenamento de energia, cuja coordenação está ao cuidado da Efacec e da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. Este distingue-se sobretudo por reunir contributos e sinergias entre a academia, empresas e start-ups. Sempre com o intuito de desenvolver soluções que respondam aos desafios da transição energética.

A Efacec é uma empresa com forte presença na cadeia de valor de energia, mobilidade e ambiente, que atua como fornecedor de soluções e de sistemas integrados EPC (Engineering, Procurement and Construction) e parceiro de serviços O&M (Operations & Maintenance). 

A participação ativa da Efacec neste projeto advém do facto da empresa ambicionar “acelerar o desenvolvimento de soluções tecnológicas inovadoras e diferenciadoras”. Está igualmente relacionada com o desejo que o grupo tem em “reforçar o seu posicionamento no mercado enquanto player tecnológico de referência com capacidade de conceder soluções com impacto positivo e sustentável para o ambiente e planeta”. Mas, acima de tudo, a Efacec viu no Vasco da Gama CoLab uma oportunidade para “reforçar a cooperação com parceiros industriais, tecnológicos e científicos”. Tanto a nível nacional como internacional.

Vasco da Gama CoLab: o futuro

Apesar de formalizado em finais de Novembro de 2019, só agora o Vasco da Gama CoLab começa a ganhar forma. Já foram definidas equipas com profissionais altamente qualificados e os primeiros projetos já estão a ser colocados em prática. Mas, e o que podemos esperar relativamente ao futuro deste laboratório colaborativo?

Para já a meta passa por se conseguir que o Vasco da Gama CoLab se torne no espaço ideal “para se conceder e desenvolver soluções tecnológicas inovadoras e líderes mundiais na área da transição energética”. Até porque este é um projeto que se rege pelo lema “Innovation for a better world”, ou seja, “Inovação para um mundo melhor”.

Além disso, sob a coordenação da Efacec e da FEUP, o laboratório compromete-se a “explorar tecnologias complementares que respondam aos desafios da sociedade”. Tais como: a integração de energia renovável, o desenvolvimento da mobilidade elétrica, a construção de smart cities sustentáveis e hubs de energia limpa. Algo que advém do facto do Vasco da Gama CoLab estar especialmente focado no armazenamento de energia.

Imagem disponibilizada no site da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto

Projetos centrados em 3 pilares essenciais

São vários os projetos estratégicos de investigação e desenvolvimento tecnológico (I&DT) que o Vasco da Gama CoLab tem em cima da mesa. Segundo avança a Efacec em comunicado, “estes projetos estão centrados em três pilares essenciais de desenvolvimento tecnológico”. Sendo que esses pilares são: as baterias de escoamento de vanádio (vanadium redox flow batteries), os Supercondensadores (supercapacitors) e a eletrónica de potência e gestão inteligente de energia”.

Os referidos projetos estratégicos irão facilitar a criação, desenvolvimento e atribuição de características inovadoras a produtos e soluções no domínio do armazenamento de energia. Ou pelo menos é isso que se espera com a implementação dos mesmos nos próximos três a cinco anos.

O financiamento de milhões de euros

Tal como já referimos, o Vasco da Gama CoLab é a liderado pela Efacec e pela FEUP, mas estas não são as únicas entidades associadas ao laboratório. Ao lado destas estão também o Instituto Superior Técnico, o INESC TEC, a EDP Inovação, a A400 e as start-ups Visblue e C2C-NewCap.

Já o cofinanciamento do laboratório colaborativo foi assumido pelo Programa Operacional Norte 2020 e pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia. Com supervisão de implementação por parte da Agência Nacional da Inovação, o Vasco da Gama CoLab receberá um financiamento no valor de 3 milhões de euros até 2023.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of