Rede elétrica vai abaixo? A bateria do veículo dá-lhe luz em casa

A longa segunda vida que uma bateria de um veículo elétrico tem reforça a sustentabilidade da mobilidade elétrica.

0
431

A produção de uma bateria é, muitas vezes, apontada como o “Calcanhar de Aquiles” dos automóveis elétricos pelo encargo extra de CO2 que aporta à mobilidade elétrica.

As marcas salientam, contudo, que, ao longo da sua vida útil, os automóveis elétricos revelam-se muito mais ecológicos do que os automóveis tradicionais e, nessa avaliação, as baterias são um elemento positivo.

Vida esticada para lá do veículo

Isto porque, por um lado, quando chega ao fim do seu prazo de vida num automóvel, uma bateria de um EV continua a poder ser utilizada em projetos de segunda vida.

Por outro lado, os automóveis elétricos têm um alcance que vai para lá desempenho do automóvel como meio de transporte.

Veículos que viram fontes de alimentação elétrica

A Nissan dá como exemplo o seu projeto Blue Switch que transforma viaturas elétricas em fontes de alimentação elétrica de emergência limpas, silenciosas e móveis, na sequência de catástrofes naturais.

Sublinha a marca que isto é “só possível porque, há mais de uma década, a equipa da Nissan já trabalhava em como uma das peças mais essenciais de um automóvel elétrico, a sua bateria, poderia desempenhar um papel muito para além da vida útil do próprio automóvel”.

Alguns meses antes do primeiro Leaf surgir no mercado em dezembro de 2010, a Nissan estabeleceu uma parceria com a Sumitomo Corp. para criar a 4R Energy Corp.

O objetivo: desenvolver a tecnologia e a infraestrutura para reformular, reciclar, revender e reutilizar as baterias dos automóveis elétricos Nissan, não pelo valor residual, mas para fornecerem energia a outras coisas.

Eiji Makino, CEO da 4R Energy, com um módulo de bateria reutilizável de um Leaf

Eiji Makino esteve envolvido na 4R Energy desde o início e tornou-se o seu CEO em abril de 2014.

“Sabíamos que num automóvel elétrico, a solução de reciclagem tinha de ser muito mais inteligente do que o normal e incluir diferentes vantagens para os proprietários dos automóveis elétricos”, refere Makino.

Este responsável acrescenta: “Reciclar simplesmente um automóvel usado como sucata metálica não seria suficiente”.

“Foi necessário bastante tempo para a 4R Energy desenvolver as tecnologias e os conceitos certos. Depois, mais uma vez, foi necessário muito tempo, visto que os automóveis elétricos como o Leaf e respetivas baterias são extremamente resistentes”, declara a Nissan.

Agora que algumas das baterias do Leaf atingiram realmente o final da sua vida útil num automóvel, a 4R está pronta para as processar. O resultado: as baterias obtêm instantaneamente um valor extra para além do que habitualmente seria expectável que proporcionassem durante a sua vida útil normal.

Quando uma bateria usada chega à fábrica da 4R

Quando uma bateria usada de um automóvel elétrico chega à fábrica da 4R, é avaliada. Por vezes, os componentes da bateria estão como novos, obtendo uma classificação “A”, e podem ser reutilizados em novas unidades de bateria de alto desempenho para um novo automóvel elétrico.

Com uma classificação “B”, as baterias estão suficientemente capazes de ser utilizadas em maquinaria industrial, como empilhadores e para armazenamento de energia estacionário em grande escala.

Fábrica da 4R, em Namie, no Japão, é especializada na reutilização e reciclagem de baterias de automóveis elétricos

Instaladas, por exemplo, numa habitação ou em instalações comerciais, podem capturar a eletricidade excedente gerada durante o dia por painéis solares e, posteriormente, fornecer energia ao edifício durante a noite.

Explica a Nissan que até mesmo os componentes de uma bateria que obtém a classificação “C” podem ainda ser utilizados.

Exemplo: em unidades que fornecem energia auxiliar quando ocorrem falhas da rede elétrica, eventualmente em supermercados que têm de manter os frigoríficos e as luzes a funcionar mesmo durante um corte de energia.

Vida útil por mais 10 a 15 anos

Os engenheiros da 4R Energy estimam que as baterias recuperadas têm uma vida útil de cerca de 10 a 15 anos, prolongando drasticamente a utilidade das baterias dos automóveis elétricos e reduzindo a sua pegada de carbono global.

Makino tem um outro argumento igualmente importante para a reciclagem das baterias: a maioria dos automóveis elétricos continua a ter um preço de produção e de compra mais elevado do que os automóveis tradicionais com motores de combustão interna.

“Isso é mais do que compensado pela vantagem da vida útil dos automóveis elétricos, visto que os proprietários podem, por norma, esperar custos de manutenção inferiores e custos de ‘abastecimento’ muito mais baixos. No entanto, com a tecnologia da Nissan e da 4R, os proprietários de automóveis elétricos podem considerar que a bateria dos seus automóveis usados pode ser um recurso significativo”, aponta o fabricante japonês.

Custo total dos EV diminui

Ao criar procura por baterias que atingiram o final da sua vida útil, a 4R ajuda a diminuir ainda mais o custo total de propriedade dos automóveis elétricos. Os proprietários não têm de vender o seu automóvel usado apenas como sucata, podem obter um valor muito mais elevado pela bateria, o que resulta num ótimo retorno em fim de vida do respetivo investimento.

Nesta lógica de uma economia circular, a empresa 4R Energy continua a tentar encontrar novas formas de reformular, reciclar, revender e reutilizar as baterias dos automóveis elétricos.

Central solar que usa baterias de iões de lítio

Em Yumeshima, uma ilha artificial na parte ocidental de Osaka, no Japão, uma central solar está a utilizar 16 baterias de iões de lítio de automóveis elétricos para fazer face às flutuações de produção de energia.

A ilha artificial de Yumeshima na parte ocidental de Osaka, no Japão, é agora o lar do primeiro sistema de armazenamento de energia em larga escala do mundo, um projeto que também coloca em destaque o potencial da reutilização de baterias dos automóveis elétricos.

E em Koshikishima, uma ilha na costa sudoeste do Japão, a 4R Energy criou um inovador sistema de gestão de baterias que faz com que seja possível alimentar com energia eólica e solar a rede de carregamento que dá apoio a uma frota de automóveis totalmente elétricos.

É o primeiro do género e é um importante contributo para o objetivo dos 5000 residentes de tornarem Koshikishima numa “ilha ecológica” com zero emissões de CO2.

Novos sistemas de baterias

A empresa está também a desenvolver sistemas de baterias que ajudam a integrar a energia solar, o armazenamento local de baterias e a eletricidade dos automóveis elétricos, e podem ser utilizados como fontes de alimentação elétrica de emergência em habitações.

Outro caso de utilização são as baterias para os veículos autónomos que se estão a tornar cada vez mais importantes nas fábricas e armazéns atuais.

Dez anos após o lançamento do primeiro Leaf, Makino está, finalmente, a ver a sua visão original tornar-se uma realidade. A sua equipa de engenheiros está a proporcionar uma segunda vida às baterias dos automóveis elétricos, o que torna os automóveis elétricos acessíveis e a sua compra mais atrativa, assim como proporciona verdadeira sustentabilidade.

A 4R Energy está agora a preparar tudo para proporcionar o mesmo apoio “4R” – reciclar, reformular, reutilizar, revender – à próxima geração de automóveis elétricos da Nissan, que começa com o novo Ariya.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of