Depois da Opel ter revelado o Combo-e, chega a vez de Peugeot e Citroën mostrarem as  versões elétricas dos seus veículos comerciais ligeiros.

Estas três marcas desenvolveram em conjunto os seus modelos, fruto das sinergias do Grupo PSA que, entretanto, passou a Stellantis pela fusão com a Fiat Chrysler Automobiles.

Relativamente ao Peugeot e-Partner e ao Citroën ë-Berlingo Van serão ambos introduzidos no segundo semestre deste ano, partilhando componentes, chassis e local de montagem, a fábrica de Vigo, em Espanha.

Baseados na plataforma modular multienergias EMP2 (Efficient Modular Platform), o Peugeot e-Partner e o Citroën ë-Berlingo Van têm um motor 100% elétrico, com uma potência de 100 kW (136 cv) e um binário máximo de 260 Nm.

Versões de carroçaria

Quer o e-Partner, quer o ë-Berlingo possuem duas versões de comprimento, de 4,40 metros (designada M na Citroën e Standard na Peugeot) e 4,75 metros (designada XL na Citroën e Longa na Peugeot).

A altura de ambos de 1,84 m permite que o veículo possa aceder a todos os tipos de parques de estacionamento.

Os modelos têm ainda duas silhuetas: furgão simples (até 3 lugares) e furgão misto (até 5 lugares)

Com uma largura interior útil entre as cavas de roda de 1,23 m, estes comerciais podem transportar duas Europaletes, colocadas em sequência no compartimento de carga.

As baterias estão alojadas sob o piso, sem qualquer impacto no volume de carga. Como tal, o volume útil não sofre alteração face à versão térmica, permitindo de 3,3 m3 a 4,4 m3.

Prestações e modos de condução

A velocidade máxima em ambos é de 130 km/h.
A aceleração dos 0 a 100 km/h é em 11,2 segundos, ao passo que as recuperações de 80 a 120 km/h são cumpridas em 8,9 segundos.

Os veículos possuem diferentes modos, selecionáveis através de um comando específico na consola:

►Eco, para 60 kW/190 Nm: permite otimizar o consumo de energia, reduzindo a performance dos sistemas de aquecimento e de ar condicionado, sem os desligar, ao mesmo tempo que limita o binário e a potência do motor,

►Normal, para 80 kW/180 Nm: permite a melhor relação entre autonomia e dinâmica,

►Potência/Power, para 100 kW/260 Nm: permite o desempenho máximo do veículo para uma maior comodidade e performance em caso de carga máxima.

Autonomia e regeneração

Os modelos estão disponíveis com uma bateria de iões de lítio (18 módulos) com uma capacidade de 50 kWh que lhes permite uma autonomia máxima de 275 km.

As baterias têm uma garantia de 8 anos ou 160.000 km (para 70% da capacidade da bateria no final do contrato).

Estão disponíveis dois modos de travagem, com tipologias de regeneração de bateria adaptadas:

Moderada, para sensações próximas das de um veículo térmico,

Aumentada (acessível a partir do botão (push) “B”, de “Brake”, localizado no comando da caixa de velocidades), para uma desaceleração acentuada quando é libertado o pedal do acelerador, favorecendo a autonomia. 

Carregadores de Peugeot e Citroën

Estão disponíveis dois tipos de carregadores a bordo, um carregador monofásico de 7,4 kW (de série) e um carregador trifásico de 11 kW (em opção).

Em termos de tempos de caregamento, estas são as informações oficiais:

►A partir de um carregador rápido (permite utilizar carregadores de 100 kW), é possível obter 80% da carga em 30 minutos,

►A partir de wallbox de 11 kW, consegue-se uma carga completa em 5h com o carregador trifásico a bordo (11 kW),

►A partir de wallbox de 7,4 kW, é possível uma carga completa em 7h30 com o carregador monofásico a bordo (7,4 kW),

►A partir de uma tomada reforçada (16A), são precisas 15 horas para uma carga completa,

►A partir de uma tomada standard (8A), são necessárias 31 horas para uma carga completa.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of