A Associação de Utilizadores de Veículos Elétricos (UVE) considera 2020 como o ano do grande arranque e consolidação das vendas de Veículos Elétricos em Portugal, tendo sido ultrapassada a fasquia das 20.000 unidades comercializadas, entre unidades 100% elétricas (BEV) e híbridos Plug-in (PHEV).

Segundo as contas da UVE, foram matriculados em Portugal 8137 exemplares de BEV e 11.867 unidades PHEV. Total: 20.004 veículos.

vendas
Fonte: UVE

Assim, somadas as vendas de Veículos Elétricos (BEV e PHEV) tivemos em 2020 um aumento anual de 55,3% face a 2019, tendo apenas se registado quedas nos meses de abril e maio por força do impacto provocado pelo estado de emergência em que o país viveu. “Um claro sinal de que as pessoas optam por soluções mais sustentáveis desde que existam modelos disponíveis”, refere a UVE.

Refere a UVE que, a partir de junho último, a curva das vendas revelou alguma consolidação “com a recuperação a ser mais visível a partir de setembro e terminando o ano em grande crescimento antecipando um excelente ano de 2021 para a mobilidade elétrica”.

BEV e PHEV a crescer, modelos de combustão a descer

As vendas acumuladas de BEV e PHEV obtiveram uma quota de mercado anual de 13,6% (em 2020), com a particularidade da quota de mercado no mês de dezembro de 2020 ter alcançado 22,5%.

Por oposição, “as vendas de automóveis ligeiros de passageiros com motores de combustão interna, movidos a combustíveis fósseis, registaram uma autêntica hecatombe durante o ano de 2020”, fazem notarem os utilizadores de viaturas elétricas: “Só num único mês, fevereiro, registaram um pequeno crescimento, de 3,6%, durante os restantes 11 meses do ano obtiveram sempre quedas nas suas vendas, tendo terminado o ano de 2020 com uma queda de 40,6% nas vendas dos veículos com motores de combustão, a gasolina ou a gasóleo, face a 2019”.

vendas

Numa análise exclusiva às vendas dos veículos 100% elétricos (BEV), a UVE assinala que, após quatro meses de quedas, fruto do estado de emergência em que o país viveu, as vendas dos BEV registaram uma forte recuperação, atingindo um aumento de 126% em novembro e de 71,4% em dezembro, tendo havido subidas em oito dos doze meses.

A quota de mercado dos BEV atingiu os 5,9% na totalidade do ano de 2020 e uma quota de mercado de 9,4% no mês de dezembro, “números impensáveis há relativamente pouco tempo”, observa a UVE.

Ligeiros de passageiros: 8 em cada 10

Analisando exclusivamente as vendas de veículos 100% elétricos (BEV), em 2020, verificamos que “83,2% dos veículos vendidos foram automóveis ligeiros de passageiros, devido ao cada vez maior número de novos modelos lançados nos últimos anos e à falta de opções disponíveis nas restantes categorias”, afirma a UVE.

Esta situação – evidenciam os utilizadores de viaturas elétricas – “contrasta com os primeiros anos da mobilidade elétrica em Portugal, em que a grande maioria dos veículos 100% elétricos vendidos eram ciclomotores e motociclos: em 2011, dos veículos 100% elétricos vendidos em Portugal, 45,7% corresponderam a ciclomotores e 17% a motociclos”.

vendas
Venda de veículos elétricos por categoria de veículo, em Portugal, em 2020

Tudo isto num ano fortemente afetado pela pandemia da COVID-19, “que acabou por ter um efeito positivo na percepção que todos pudemos constatar do que seriam as nossa cidades e áreas urbanas sem o efeito nocivo da poluição atmosférica e da poluição sonora”, salienta a associação.

Cartão amarelo permitiu mudar de modelo

Para a UVE, este “verdadeiro ‘cartão amarelo’ que o planeta Terra mostrou a toda a Humanidade [em 2020, n.d.r.] permitiu a um número cade vez maior de cidadãos optarem por mudar, por deixar de consumir combustíveis fósseis e juntarem-se assim a todos os que participam neste combate decisivo às alterações climáticas pela eletrificação dos transportes e da mobilidade dos humanos, pela descarbonização da economia, pela adoção de um modelo económico baseado nas energias renováveis e na produção local de eletricidade”.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of