Uma análise efetuada pelo dinamarquês Danish Consumer Council detetou a presença de substâncias com potenciais impactos na saúde humana e no ambiente em inúmeros produtos de cosmética.

O projeto de investigação, no qual a associação Zero participou, envolveu organizações em 34 países de cinco continentes, com o objetivo de perceber até que ponto os ingredientes de um conjunto de produtos cosméticos selecionados diferiam entre países, bem como se eram detetadas substâncias potencialmente nocivas para a saúde e ambiente. A recolha da informação decorreu na primavera de 2020.

Ainda que a lista inicial fosse composta por 39 produtos, no final e em termos práticos essa lista chega a 176 produtos diferentes, devido às múltiplas versões de um mesmo produto, mas com conteúdos químicos diferentes.

Preocupantes? Qual o motivo?
Segundo a Zero, as substâncias preocupantes encontradas nos produtos cosméticos analisados, são assim designadas por quatro motivos:
– podem interferir com o nosso sistema hormonal;
– podem causar alergias;
– podem ser tóxicas para a reprodução (por exemplo, infertilidade);
– e são prejudiciais para o ambiente (por exemplo, por serem persistentes na natureza ou por acumularem no ambiente e nos animais).

A análise da constituição dos produtos selecionados foi feita unicamente através da consulta dos rótulos dos produtos, não tendo sido realizadas análises complementares, pelo que não há informação sobre as concentrações de cada substância química.

Tendo a informação dos rótulos dos produtos por base, foi aplicada uma escala de avaliação usada pelo Danish Consumer Council, que é a seguinte:

  • A – O produto é uma boa escolha. Não contém substâncias problemáticas.
  • B – O produto não contém a maioria das substâncias preocupantes, mas contém perfume ou substâncias que podem prejudicar o ambiente. Será preferível evitá-lo, em particular se tiver problemas de alergias e quiser prevenir danos no ambiente.
  • C – O produto contém substâncias preocupantes, isto é, substâncias que, por exemplo, são suspeitas de interferir com o nosso sistema hormonal. Estas substâncias não são ilegais, e o produto não é normalmente perigoso por si, mas a sua utilização contribui para a exposição continuada às mesmas.

Ambiente e saúde em causa

Com base nisso, a associação Zero refere que os resultados alcançados demonstram que a maioria dos produtos recebe uma classificação C porque contém substâncias químicas indesejáveis, “ou seja, possuem um ou mais ingredientes que podem interferir com o nosso sistema hormonal, podem causar alergias, ou podem ter outros impactos negativos na saúde humana e no ambiente”.

Para mais informação sobre as substâncias preocupantes encontradas por favor consultar: https://dokumentation.taenk.dk/sites/default/files/fbr_taenk_kemi_-_look_out_for_these_unwanted_substances.pdf

“Estas substâncias não são ilegais e o produto não é normalmente perigoso por si, mas a sua utilização contribui para a exposição continuada às mesmas”, apontam os autores da análise.

De acordo com os promotores do estudo, no total, foram encontradas 65 substâncias químicas tidas como preocupantes em 39 produtos. Isto significa que os consumidores estão expostos a estas substâncias químicas, em alguns casos, diariamente.

Recomendações do documento
Para as organizações que efetuaram esta avaliação é crucial que os cidadãos:
  • Tenham acesso aos ingredientes dos produtos que compram e possam verificá-los antes da compra.
  • Tenham presente que produtos da mesma marca e com o mesmo código de barras, mas adquiridos em países vizinhos, podem ter ingredientes diferentes.
  • Compreendam que os produtos que compram e usam regularmente podem conter substâncias químicas preocupantes.
  • Exijam que as autoridades legislem no sentido de retirar progressivamente estas substâncias químicas preocupantes dos produtos.
Lista com os produtos analisados e respetiva classificação quanto à presença de substâncias preocupantes:

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of