A Jaguar Land Rover associou-se a empresas internacionais de software, mobilidade e telecomunicações para criar um espaço urbano inteligente que permita realizar testes envolvendo tecnologias conectadas e em situações reais nas quais veículos autónomos partilhem o ambiente rodoviário com automóveis convencionais, peões e ciclistas.

O Future Mobility Campus Ireland (FMCI) será uma zona colaborativa de testes composta por 12 km de estradas públicas “que irá disponibilizar o espaço e a capacidade para aproveitar dados valiosos de sensores, simular variados ambientes de estrada e situações de trânsito, em complemento a testar novas tecnologias”, refere o fabricante.

Com esta zona de testes, a Jaguar Land Rover pretende progredir a sua investigação sobre mobilidade partilhada e veículos autónomos, ligados e eletrificados.

O Jaguar I-Pace integralmente elétrico será utilizado para os testes.

Este espaço com condições reais irá incluir sensores, sistemas de posicionamento de elevada precisão, um centro de controlo e gestão de dados e protótipos de veículos autónomos. Em complemento, irá integrar cruzamentos inteligentes, parques de estacionamento autónomos, pontos de carregamento de veículos elétricos, saídas para um troço de 450 km de autoestrada ligada e um percurso gerido de trânsito para veículos aéreos não tripulados (UAV) a partir do aeroporto de Shannon que irá percorrer o estuário do rio Shannon (Irlanda).

A Jaguar Land Rover irá desenvolver este espaço em parceria com um conjunto abrangente de empresas tecnológicas, como a Cisco, Seagate, Renovo, Red Hat e Mergon. Estas zonas de testes são normalmente criadas no estrangeiro, mas o FMCI permite à Jaguar Land Rover desenvolver as suas atividades de investigação ao lado de uma das suas instalações, o centro de software de Shannon.

John Cormican, General Manager, Jaguar Land Rover em Shannon (Irlanda), refere que “esta parceria com o FMCI permite-nos dispor de um espaço com condições reais para testar a nossa tecnologia de mobilidade partilhada e veículos autónomos, ligados e eletrificados numa localização estratégica. Ao trabalhar lado a lado com empresas de software de primeiro nível, seremos mais eficientes no desenvolvimento dos nossos sistemas futuros”.

Russell Vickers, CEO do FMCI, considera que “este espaço urbano inteligente representa uma grande oportunidade para as empresas internacionais trabalharem em conjunto e desenvolverem tecnologias de ponta, de veículos autónomos à infraestrutura ligada. A zona de testes destaca-se por proporcionar condições reais, o que pode auxiliar a resolver de forma colaborativa e eficiente algumas das questões que se colocam sobre o futuro da mobilidade”.

Zona de testes será composta por 12 km de estradas com cruzamentos inteligentes e parques de estacionamentos ligados.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of