A Dacia vai abrir um novo capítulo na sua história, avançando com o seu primeiro modelo 100% elétrico.

O Dacia Spring trará uma espécie de “primavera revolucionária”, por duas razões:

1º) em primeiro lugar, será o elétrico mais barato do mercado, apostando na fiabilidade Renault (grupo ao qual a Dacia pertence) e numa gama e oferta comercial simples que fará com que a bateria esteja incluída no preço de aquisição.

2º) em segundo lugar, terá uma versão especificamente preparada para o segmento do “carsharing”.

Apesar das dimensões compactas de citadino de cinco portas, o Spring oferece 4 verdadeiros lugares para adultos.

O Spring Electric (que o concept com o mesmo nome antecipava, em março de 2020) é um citadino de aspeto crossover. O veículo mede 3,73 metros de comprimento (34 centímetros menos que o Sandero), 1,62 metros de largura (sem retrovisores) e 1,51 metros de altura.

Uma das características deste pequeno elétrico é o seu raio de viragem de apenas 4,8 metros, aspeto que facilita as manobras em cenário urbano.

Capacidade de arrumação

A mala do Spring tem 300 litros de capacidade, sem contar com o espaço sob o piso reservado para a roda de reserva, que é opcional. Uma vez rebatido, o banco traseiro faz aumentar a bagageira para os 600 litros.

Em termos de arrumação, os ocupantes dos bancos dianteiros podem tirar partido de 23,1 litros de capacidade em espaços de arrumação, repartidos entre o porta-luvas, as bolsas nas portas e os espaços na consola central. Atrás, os passageiros dispõem de bolsas colocadas nas costas dos bancos dianteiros.

Com um design exterior que o aproxima de um Duster, o Spring Electric aposta num desenho mais irreverente, reforçado por um pack colorido disponível na versão de lançamento: os retrovisores, a parte decorativa das barras de tejadilho e a moldura dos faróis de nevoeiro dianteiros são cor de laranja.

33 kW e bateria de 26,8 kWh

A motorização 100% elétrica, com 33 kW (equivalentes a cerca de 44 cv) e binário de 125 Nm, está acoplada a uma bateria de 26,8 kWh de capacidade.

A autonomia declarada é de 225 km no ciclo WLTP e de 295 Km no ciclo WLTP City (ciclo de homologação que compreende apenas o trajeto urbano homologado).

“Na Europa, neste segmento A (citadinos), a distância média percorrida diariamente é de 31 km. Tendo em atenção este dado, o Spring não precisaria de mais do que uma carga por semana”, refere a marca.

O Dacia Spring tem uma garantia de 3 anos ou 100.000 km e as baterias têm uma garantia de 8 anos ou 120.000 km.

O alcance do veículo pode ainda aumentar em quase 10% se pressionar o botão ECO no tablier, uma função que, quando ativada, limita a potência aos 23 kW (em vez dos habituais 33 kW) e a velocidade máxima aos 100 km/h.

O Spring oferece uma escolha de formas de recarga: numa tomada doméstica de 220V, graças ao cabo fornecido de série, numa Wallbox (com o cabo proposto em opção) ou numa ligação DC (em opção).

Tempos de carregamento

Segundo a marca, o tempo de carga da bateria de iões de lítio é de:

  • Menos de 1 hora para uma carga de 80% numa ligação DC 30 kW
  • Menos de 5h para uma carga de 100% numa Wallbox de 7,4 kW
  • Menos de 8h30 para uma carga a 100% numa Wallbox de 3,7 kW
  • Menos de 14h para uma carga de 100% numa tomada doméstica de 2,3 kW

A partir de um smartphone, a aplicação gratuita “My Dacia” permite conhecer, em tempo real, a capacidade da bateria, a autonomia restante em quilómetros, pré-regular a temperatura do habitáculo (climatização) e localizar o automóvel. Sempre que o Spring Electric está ligado à tomada, a aplicação permite ainda conhecer a progressão da carga e de a iniciar ou parar sempre que quiser.

Versão para “carsharing”…

O modelo terá dois níveis de equipamento e para além da versão de passageiros para clientres particulares, haverá mais duas versões: uma variante adaptada à partilha de automóvel, para uma mobilidade elétrica partilhada; e uma versão comercial denominada Cargo, que se destina às entregas de último quilómetro (last mile), sem emissões poluentes.

A variante “carsharing” vai, de resto, ser a primeira a chegar ao mercado, no início de 2021, estando a sua venda restrita para as empresas de partilha de veículos. A venda a particulares far-se-á mais tarde.

Apoiada na experiência adquirida com a Zity, o serviço de partilha de automóvel operado pelo Grupo Renault e pela Ferrovial em Madrid e Paris, a Dacia desenvolveu uma versão específica do Spring para este mercado de “auto partilha”. Esta variante de “carsharing” encontra-se pré-equipada para receber a tecnologia dos diferentes operadores, que lhes permitem efetuar a geolocalização das viaturas e permite a abertura das portas com a ajuda de um smartphone.

O início das encomendas do Dacia Spring Electric para particulares está previsto para a primavera de 2021. as entregas aos clientes acontecerão no outono de 2021.

No habitáculo, o condutor encontrará o ambiente do seu fornecedor do serviço de partilha no ecrã, graças à replicação das informações através do smartphone (Apple CarPlay e Android Auto). O veículo terá ainda um sistema de navegação e da ajuda ao estacionamento (sensores de radar e câmara de marcha-atrás na retaguarda).

Refere o construtor que na Europa, a utilização média de um automóvel de condução partilhada (car sharing) é de 40 minutos e a distância percorrida de 8 km. “O Dacia Spring enquadra-se perfeitamente neste tipo de serviço: é 100% elétrico, simples de conduzir, fiável e robusto. Para além disso, o seu posicionamento de preço permite-lhe estar perfeitamente alinhado com o modelo económico da partilha de automóvel e com as expetativas dos clientes”, sublinha a marca que pertence ao Grupo Renault.

… e versão comercial Cargo

Na versão comercial, o Spring Electric Cargo vê a bagageira estendida ao lugar que ocupava o banco traseiro, recebendo ainda um revestimento em plástico durável no piso e na zona ocupada pelas cavas das rodas.

A variante comercial do modelo terá quatro anéis de fixação e uma antepara que divide a zona de carga dos passageiros da frente. O comprimento da área de carga desta versão específica é de 1033 mm, a capacidade da mala de 800 litros e a carga útil é de 325 kg.

“Preço imbatível”, promete Dacia

Não há ainda preços divulgados, mas espera-se que este novo Dacia seja uma espécie de elétrico “low cost” (o fabricante fala de “um preço imbatível”), com uma grande dose de pragmatismo, pelo que a lista dos equipamentos disponíveis se irá cingir ao essencial.

Objetivo: conseguir um PVP “de arromba” para um EV. No Watts On, há sete meses, avançavamos com um valor abaixo de 21 mil euros, mas é bem provável que essa cifra seja menor. Teremos de aguardar.

Segurança de série
O Spring conta com vários equipamentos de segurança propostos de série como: o limitador de velocidade, o ABS, o ESP, repartidor eletrónico de travagem, 6 airbags, botão de emergência (SOS), iluminação automática dos faróis e a travagem automática de emergência. Ativo entre os 7 e os 170 km/h, este sistema deteta, através de um radar colocado na dianteira, a distância para o automóvel da frente (esteja este parado ou em movimento). Se o sistema detetar um risco iminente de colisão, alerta o condutor através de sinais sonoros e visuais, antes de ampliar a capacidade do sistema de travagem caso o condutor atue sobre os travões ou, caso este não reaja atempadamente ou com potência suficiente, o sistema atua automaticamente.

O equipamento de série inclui, assim, direção de assistência variável 100% elétrica, fecho centralizado com comando à distância e os quatro vidros elétricos.

Um ecrã numérico de 3,5” marca presença entre os mostradores principais e o reconhecimento vocal, através do Google ou da Apple, pode ser ativado, facilmente, através de um comando colocado no volante.

O ar condicionado manual, o sistema multimédia, o comando elétrico dos retrovisores e uma verdadeira roda suplente estão disponíveis como opção.

Outro item opcional é o sistema de auxílio ao estacionamento, tal como o equipamento multimédia Media Nav, o qual inclui um ecrã tátil de 7 polegadas.

O que pensa o W

A Dacia é uma marca conhecida por se focar no essencial, garantindo mobilidade a preços racionais para diferentes tipos de necessidades e utilizações: para a cidade (com o Sandero que tem até uma opção GPL de série), para famílias mais pequenas (com o sedan Logan, a carrinha Logan MCV ou o combi Dokker), para famílias numerosas (com o monovolume de 7 lugares Lodgy) e para momentos de aventura (com o SUV Duster). Qualquer uma destas opções (mesmo considerando as variantes mais joviais Stepway), consegue comprar-se por menos de 18.500 euros.

A vinda da Dacia para o universo dos elétricos é, por isso, uma excelente notícia, pois irá permitir tornar também acessível a mobilidade elétrica a uma quantidade de pessoas que até aqui nem sequer consideravam ter um EV devido ao seu preço. Talvez a partir de agora comecem a mudar de “chip”.

Em março, tínhamos indicado que o Dacia elétrico ficaria abaixo dos 21 mil euros, mas o mais provável é que o valor de compra possa ficar ainda mais abaixo dessa fasquia. Porém, sobre isso ainda não nos podemos pronunciar com rigor, dado que a Renault ainda não avançou com valores. Teremos de aguardar com expectativa.

É claro que por um PVP mais reduzido, não podemos esperar (nesta altura ainda) por grandes prestações ou valores de autonomia. Contudo, considerando que se trata de um veículo para a cidade, os 225 km no ciclo WLTP que se anunciam satisfazem as necessidades da larga maioria dos utilizadores das cidades, assim tenham possibilidade de carregar nas suas casas ou num posto de carregamento.

E até por isso, a entrada da Dacia nos campeonatos dos elétricos representa uma grande notícia: mais unidades elétricas em circulação nas estradas é uma pressão adicional para que mais infraestruturas de carregamento sejam disponibilizadas no país.

O Spring tem ainda o trunfo de entrar no cenário das cidades com duas propostas fortes, dado que será comercializado igualmente numa versão comercial (a pensar nas entregas urbanas de zero emissões) e numa variante “carsharing”.

Novamente, o sentido prático da Dacia aqui presente: transportar com eficiência, neste caso também eficiência energética e cuidado pelo ambiente nos locais onde mais esses fatores são cruciais, as cidades. Venha, pois, daí esta “Primavera Romena”.

Dacia Spring

► Dimensões

Comprimento: 3734 mm
Largura: 1622 mm (1770 mm com retrovisores)
Altura: 1516 mm
Distância entre-eixos: 2423 mm
Altura ao solo em vazio: 150 mm

► Motor

Motor elétrico 33 kW (44 cv)
Bateria 26,8 kWh
Recarga AC até aos 6,6 kW / DC até aos 30 kW (em opção)
Autonomia: 225 km WLTP / 295 km WLTP City
Velocidade máxima: 125 km/h

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of