Mégane eVision: o futuro elétrico da Renault está aqui

0
489

A Renault apresentou hoje o concept car Mégane eVision, que antecipa uma nova geração de automóveis elétricos, concebidos sobra a nova plataforma CMF-EV.

Luca De Meo, CEO do Grupo Renault, fala da importância deste momento: “Graças à nova plataforma CMF-EV desenvolvida pela Aliança, rompemos com os códigos do design, da forma, da eficiência energética e dos modos de utilização para imaginar o show-car Mégane eVision. Com a bateria mais fina do mercado, uma carroçaria compacta de 4,21 metros que oferece a habitabilidade de um veículo do segmento C, o Mégane eVision é um soberbo truque de magia! Posicionámos no futuro um dos nossos modelos mais icónicos. O Mégane eVision reinventa o Mégane e a Renault reinventa a Renault. E é apenas o início. Está a chegar uma nova geração de inovadores veículos elétricos.”

O modelo de produção baseado no Mégane eVision vai ser apresentado em 2021 e terá motorização exclusivamente elétrica.

Smart charging

A Renault promete que este modelo vai participar no desenvolvimento do carregamento inteligente, para equilibrar a rede elétrica e ajudar os utilizadores a economizar. A bateria poderá ser carregada na melhor altura, graças à conectividade do veículo, beneficiando das horas de vazio e favorecendo a utilização de energia de fonte renovável.

Também está a ser desenvolvida a tecnologia V2G (do veículo para a rede), que permite a exportação de parte da energia armazenada na bateria para a rede elétrica.

Uma e-plataforma modular

As forças da Aliança Renault-Nissan-Mitsubishi juntaram-se para conceber a nova plataforma CMF-EV, que servirá de base para vários modelos.

CMF-EV significa Common Module Family e Electric Vehicles. A Renault já registou mais de 300 patentes relacionadas com esta plataforma.

Permitirá a instalação de baterias de diferentes modularidades em comprimento e altura. Será possível desenvolver berlinas baixas e SUV de grandes dimensões, que poderão incorporar as maiores baterias em termos de capacidade.

Otimizada para veículos elétricos, esta nova plataforma tem um aproveitamento de espaço mais eficiente, reduzindo o compartimento do motor em prol da habitabilidade.

O comprimento do Mégane eVision é de apenas 4,21 metros, poupando cerca de 15 a 30 cm de comprimento face a um automóvel do segmento C com cotas de habitabilidade semelhantes.

Carregamento até 130 kW

A Renault indica que o modelo terá uma bateria muito fina, com 60 kWh de capacidade, o que pode conferir um alcance muito razoável ao futuros modelo com apenas uma carga.

Vai poder carregar até à potencia de 130 kW em Corrente Contínua. O carregados embarcado permite carregar em Corrente Alterna até 22 kW.

Design com algumas diferenças

Um dos pormenores mais interessantes é que o novo elétrico da Renault será dotado de rodas grandes (18 ou 20 polegadas) mas mais estreitas. As rodas de 20 polegadas terão pneus Continental 245/40 ZR e serão cobertas com tampões de 21 polegadas.

Vários pormenores estéticos já foram apresentados no concept car Morphoz.

O Mégane eVision está dotado de uma assinatura luminosa. Designada por Livinglights, pode ser personalizada graças à tecnologia FOTA (Firmware Over The Air).

Potência e prestações

A Renault promete um desempenho dinâmico superior, com um motor de rotor bobinado bastante potente, acoplado ao eixo dianteiro.

Terá 160 kW (217 cv) e 300 Nm de binário, permitindo que este compacto familiar acelere dos 0 aos 100 km/h em cerca de 8 segundos.

O que pensa o W

Este é o tipo de notícia que gostamos de dar. Mais um importante construtor europeu a posicionar-se de forma sustentada na produção de automóveis elétricos.

A nova plataforma é muito promissora, permitindo um fundo plano e amplo espaço para packs de bateria de maior capacidade. Também será curioso ver quando serão anunciadas versões de tração integral e dois motores.

Mas aquilo de que o mercado precisa é de elétricos produzidos em número e a preço que permitam a sua massificação. Uma marca líder de vendas como a Renault (também nos elétricos, com o Zoe) dará um grande contributo, num segmento onde a oferta é ainda reduzida.

O que falta saber? A grande questão é o preço a pagar. Seja a pronto, com financiamento e aluguer de baterias. Dentro de alguns meses já ficará mais claro se este Mégane elétrico vai ser realmente o equivalente do seu homónimo com motor de combustão.

Até lá, bem jogado Renault.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of