Na abertura da Semana Europeia da Mobilidade da Amadora, o Secretário de Estado da Mobilidade destacou no evento “On Mobility” que o problema de saúde mundial que estamos a enfrentar não pode suspender o empenho na luta em torno da crise climática.

Numa conferência organizada pela Câmara Municipal da Amadora e pela EcoMood Portugal, que decorreu no espaço dos Recreios da Amadora, Eduardo Pinheiro enfatizou que embora estejamos “a viver uma pandemia” e um grave problema de saúde, “essa crise não suspende a outra”. Para o governante, “todas as metas [ambientais, n.d.r.] que estavam definidas até 31 de dezembro de 2019 terão de ser mantidas e até reforçadas”.

O contributo dos transportes nas emissões

Falando no âmbito de uma conferência que debateu as novas soluções de mobilidade e que teve transmissão online acompanhada pelo Watts On, o governante referiu que para se alcançar o objetivo de neutralidade carbónica até 2050 a que se propôs Portugal, “tem de se reconhecer que os transportes têm um contributo de 25% para as emissões de gases com efeito de estufa”. Mediante isso, “não podemos ficar de braços abertos. Temos de agir”.

“Os transportes públicos são a espinha-dorsal na política de mobilidade”, diz Eduardo Pinheiro

Quando está prestes a assinalar um ano em que tomou posse como Secretário de Estado, Eduardo Pinheiro sintetizou as três grandes prioridades para o governo em matéria de mobilidade: transportes públicos; mobilidade ativa com diminuição da mobilidade motorizada; e eletrificação da mobilidade.

Sobre os transportes públicos, Eduardo Pinheiro garantiu que o executivo continuará a colocar o setor como aposta, relembrando políticas recentes, como a redução tarifária, uma “medida importante com a qual conseguimos trazer muita gente para o sistema e para o transporte público”, salientou o responsável governativo.

Para o Secretário de Estado “era necessário garantir que o fator preço dos transportes coletivos não fosse determinante para afastar as pessoas e as famílias” de os utilizarem.

Desafio da COVID-19

Contudo, para o Secretário de Estado da Mobilidade, embora esta medida tenha sido “uma vitória”, a fase atual, com os condicionalismos impostos pela COVID-19, coloca outro desafio: “Recuperar pessoas para o transporte público no contexto de pandemia, garantindo as necessárias condições de segurança. Temos de trazer toda essa gente de volta. Temos de insistir, pois a pandemia não pode suspender os desafios que temos pela frente”, voltou a repetir a ideia.

Um dos investimentos próximos em matéria de transportes públicos destacados por Eduardo Pinheiro na conferência “On Mobility” diz respeito à aquisição de uma frota de dez barcos elétricos para colocar ao serviço da Transtejo, as quais irão substituir embarcações Diesel.

O governante deu como exemplo o recente diploma (Despacho n.º 8457/2020), emitido pelo Ministério do Ambiente e da Ação Climática, que determina a distribuição de 94 milhões de euros provenientes do Fundo Ambiental para o apoio à reposição da oferta de transportes públicos nas áreas metropolitanas e comunidades intermunicipais: “Com o recomeço das aulas presenciais, temos de ter capacidade de resposta com a oferta de transporte. Temos de ter mais autocarros e mais autocarros limpos e mais material circulante”, disse Eduardo Pinheiro.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of