Portugal continua a revelar-se um dos principais polos de startups na Europa e, neste último quadrimestre do ano, surgiram duas recentes iniciativas empresariais que prometem estimular ainda mais o talento nacional.

Uma das iniciativas é a PaperWings e o outro projeto é a Startup Jobs.

PaperWings

PaperWings. Clique na imagem para aceder ao site.

PaperWings é um projeto que pretende unir pessoas, startups e grandes empresas para financiar bolsas de estudo a jovens universitários.

Para já a iniciativa conta com o apoio da startup Didimo, da Universidade do Porto, da sociedade de advogados Vieira de Almeida e do fundo Ideias Glaciares, mas a expectativa é que ganhe asas, junte mais entidades e cresça em comunidades locais que apoiem os jovens e os acompanhem na sua formação.

“Aprender, partilhar e construir” é o mote do projeto da PaperWings.

Alinhada com dois dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas – erradicar a pobreza e garantir educação de qualidade –, a iniciativa destina-se a jovens que tenham completado o ensino secundário e queiram prosseguir o percurso académico em áreas como matemática, ciências da computação, engenharia ou física.

Como “ser bom aluno não chega, a PaperWings está à procura de ideias que contribuam para a construção de um mundo certo, igualitário e justo. Os interessados devem preencher o formulário disponível para o efeito, bem como escrever uma carta de motivação dirigida ao CEO de uma tecnológica, um pitch com a ideia que acreditam que terá um impacto positivo no mundo e uma biografia em que se projetem daqui a 15 anos”, explicam os responsáveis do projeto.

13 de setembro
Data-limite para interessados poderem candidatar-se

 

Verónica Orvalho, CEO da Didimo e impulsionadora da iniciativa, refere que “a PaperWings nasce por acreditarmos no potencial humano e na educação como armas para criar um futuro mais justo, onde, através do ciclo aprender, construir, partilhar e voltar a aprender, qualquer pessoa pode causar um impacto positivo no mundo. Por isso, mais do que bons alunos, procuramos jovens com vontade e ideias para os dotar das competências necessárias para esta construção”.

Paper Wings junta empresas e instituições académicas para financiar o percurso dos estudantes no ensino superior e dar-lhes oportunidades profissionais para desenvolverem outras competências

Até ao dia 13 de setembro estão abertas as candidaturas para a primeira bolsa de estudo, financiada pela startup Didimo. O objetivo é que mais empresas se juntem para alargar a iniciativa ao maior número de estudantes possível.

PaperWings financia o percurso académico e profissional de jovens que queiram ter impacto no mundo.

“A educação deve ser uma preocupação da sociedade no geral e uma responsabilidade de todos. O nosso objetivo é unir forças entre várias empresas e instituições académicas para dotar os jovens com os conhecimentos e competências que lhes permitam sonhar com um futuro próspero”, conclui a empreendedora.

Além de bolsas de estudo, que podem ir de três a cinco anos, a Paper Wing garante também programas de estágios aos participantes e programas de mentoria de forma a capacitar os jovens estudantes para o mercado de trabalho.

 

Startup Jobs

Startup Jobs. Clique na imagem para aceder ao site.

Por seu lado, a Startup Jobs visa promover um encontro entre startups à procura de talento e talento em busca de oportunidades, no âmbito de um contexto pandémico imprevisível.

A plataforma, sem custos para pessoas ou empresas, dispõe de forma simples e acessível as vagas disponíveis nas tecnológicas que estão a recrutar em Portugal.

A plataforma conta já com o apoio de parceiros impulsionadores do ecossistema português de empreendedorismo, como a Startup Lisboa, a Bright Pixel, a Olisipo Way, o ImpactHub Lisboa, a Canopy Portugal, o Founders Founders e a Acredita Portugal.

A Startup Jobs surge da vontade de dois empreendedores, Malik Piara (fundador da Upframe, startup que ajuda novos fundadores a encontrar e a marcar chamadas com mentores na indústria em menos de um minuto) e Bernardo Neuville (engenheiro de customer success na Usercentrics).

Perante o desemprego de vários colegas de profissão e amigos, Malik Piara detetou a necessidade de haver uma plataforma agregadora e imediata das ofertas do mercado e desafiou Bernardo Neuville a criarem-na, remotamente, a partir de casa.

“Quisemos criar um sistema agregador onde as pessoas pudessem encontrar novas oportunidades” – Malik Piara é um dos mentores do projeto Startup Jobs.

“Apesar da pandemia ter afetado centenas de startups, outras conseguiram estabilizar ou até prosperar neste ambiente turbulento e procuram aumentar a sua equipa. A iniciativa está disponível, de momento, apenas para o mercado português e a divulgação é feita através dos parceiros institucionais e das diferentes comunidades tecnológicas já existentes”, explicam os promotores da iniciativa.

“O recrutamento em tecnologia em Portugal tem sido um tema com bastante destaque nos últimos anos, pois existia uma grande procura por programadores talentosos e uma oferta que começava a escassear. Com a pandemia, esta realidade alterou-se um pouco e viu-se um abrandamento no ritmo de novas contratações e alguns despedimentos. Assim, quisemos apoiar quem se viu nesta situação, ao criar um sistema agregador, que ainda não existia até à data, ao contrário do que acontece em ecossistemas mais desenvolvidos, onde as pessoas pudessem ir para encontrar novas oportunidades”, explicam Malik Piara e Bernardo Neuville.

Startup Jobs: nova plataforma para encontrar start-ups que estão a contratar

O objetivo é que esta plataforma torne a procura de oportunidades na área da inovação e da tecnologia mais fácil, “mitigando os efeitos negativos gerados pela crise e elevando o nosso ecossistema a um novo nível”, acrescentam.

Os criadores da plataforma pretendem continuar a desenvolver a solução de forma a integrar, no futuro, outras iniciativas promovidas pelas organizações fundadoras, tais como programas de aceleração, com vista a impulsionar o crescimento do ecossistema.

Atualmente, a Startup Jobs está organizada em categorias – design, marketing, business development e developer – e apresenta oportunidades em empresas como a Ydata, Infraspeak, EatTasty, Loggi, Talkdesk, entre outras.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of