O serviço de motosharing da Acciona deixará de operar em Lisboa a partir de 7 de agosto, inclusive.

A notícia está já a ser transmitida aos clientes da empresa.

Contactada pelo Watts On, fonte da Acciona Mobilidade confirma que 6 de agosto será o último dia da sua operação de motosharing na cidade de Lisboa.

A mesma fonte prossegue, afirmando que a Acciona assume como “firme compromisso criar um forte impacto positivo nas cidades onde estamos presentes, tendo em vista um modelo de negócio com rentabilidade económica e elevada qualidade junto de todos aqueles que procuram os nossos serviços. Neste caso, como resultado de um constante processo de análise das cidades em que operamos, e em face da conjuntura social que globalmente se sente, tomámos a decisão estratégica de fechar o nosso serviço operativo em Lisboa”.

Apesar deste desfecho, a fonte da Acciona ouvida pelo Watts On indica que a empresa “não deixará de estar atenta às necessidades futuras do mercado português no que concerne à sustentabilidade e multimodalidade dos transportes urbanos. Naturalmente, todos os nossos clientes inscritos na plataforma da Acciona em Lisboa foram devidamente informados da nossa decisão, bem como as razões que a motivaram”.

Partilha de motos elétricas

O serviço de transporte partilhado da Acciona assentava em motos elétricas, operando em Madrid, Barcelona, Valência, Sevilha, Saragoça, Milão, assim como em Lisboa.

Na capital portuguesa, a empresa tinha 500 motociclos elétricos, tendo esta frota sido até reforçada este ano.

No passado dia 11 de maio, a Acciona tinha regressado à atividade, após o confinamento.

“Ninguém gosta de despedidas, mas o nosso caminho continua e é hora de partir”, refere a empresa na nota enviada aos utilizadores dos seus veículos.

Esta saída de um player de mobilidade do mercado nacional não é caso isolado, dado que, em março deste ano, a DriveNow decidiu fechar as portas também.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of