A Full Cycle, empresa portuguesa que aposta na criação de produtos baseados em economia circular, está a produzir viseiras, salva-orelhas e peças de acessibilidade para apoiar a luta contra a COVID-19 feitas a partir de plástico recolhido nos oceanos.

Empresa está a reciclar redes e outros equipamentos de pesca que são responsáveis pelo “ghost fishing”

“Com este processo a Full Cycle consegue valorizar os resíduos plásticos que poluem os oceanos, dando-lhes uma segunda vida, ao mesmo tempo que cria uma economia que fomenta a reciclagem e viabiliza estes sistemas de recolha”, diz o Co-Founder da Full Cycle.

Para Francisco Tenente, “para além da redução da quantidade de plásticos nos oceanos este projeto promove também a reciclagem de redes e outros equipamentos de pesca que são responsáveis pelo ‘ghost fishing’ e como tal contribui para manter a biodiversidade marítima, diminuindo a morte de fauna marítima presa nas redes”.

A FullCycle estabelece sistemas de recolha destes produtos em fim de vida de modo a reintroduzi-los novamente em processos de reciclagem, garantindo assim a circularidade do sistema.

Os responsáveis desta jovem empresa sublinham que com a utilização desta matéria-prima contribui-se diretamente com a recolha e valorização de 25g por viseira, 8g por salva-orelhas e 40g por peça de acessibilidade de plástico marítimo.

“A utilização deste material, contribuí ainda com uma distribuição de ganhos ao longo da cadeia de valor promovendo mais recolha de plástico marítimo, o que promove a sua sustentabilidade económica e a sua escalabilidade”, acrescenta a Full Cycle que salienta que “indiretamente há uma influência positiva na promoção dos produtos reciclados e consequentemente da indústria da reciclagem, aumentando o valor dos resíduos”.

Neste momento, o salva-orelhas e a peça de acessibilidade são feitos apenas com material reciclado, sendo que no caso da viseira apenas o suporte e as peças de reforço são de material reciclado. “A Full Cycle encontra-se ativamente a procurar alternativas para produzir uma versão 2.0 em que todas as peças serão de plástico reciclado, em maior ou menor percentagem”, aponta a empresa.

Parceiros internacionais

A FullCycle é parceira de uma organização com sede na Europa e com delegações na América do Norte, Turquia e Ásia. Esta organização opera desde a recolha de resíduos plásticos nos oceanos, ou em risco de ir parar aos oceanos (rios e equipamento de pesca obsoleto, entre outros), no processamento dos resíduos em pellets de material reciclado (matéria-prima já transformada) e criação de rede de parceiros para transformação de pellets em produtos valorizados e respetivos canais de distribuição.

O plástico é retirado dos oceanos por todo o mundo através de recolhas organizadas pela rede de parceiros, passando por traineiras com equipamentos de recolha de plástico, até sistemas de recolha de redes de pesca nos portos. Mais tarde, esta matéria é transformada e processada em pellets através de uma cadeia de valor, que consegue fazer todo o fluxo, “from waste to value”.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of