O Conselho Empresarial Mundial para o Desenvolvimento Sustentável (WBCSD) em parceria com dez multinacionais, lançou um guia – “Corporate EV adoption guide” – para auxiliar a transição das empresas para a mobilidade elétrica.

A LeasePlan dá conta deste lançamento, referindo em comunicado que a associação a mais um projeto global que pretende acelerar a adoção de veículos elétricos confirma o papel da empresa “na transição do motor de combustão interna para propulsões alternativas, visando as zero emissões até 2030”.

As dez multinacionais que lançaram este guia são a LeasePlan, Eaton, EDP, Enel, Guidehouse, Mahindra, Michelin, Nissan, Solvay e UPS.

O “Corporate EV adoption guide” é um guia online, que se foca essencialmente nos veículos 100% elétricos, mas também refere outras alternativas de motorização, como Híbridos Plug-In (PHEV) e veículos movidos a células de combustão de hidrogénio (FCEV).

A eficiência energética da motorização elétrica, os benefícios ao nível dos custos e o potencial de descarbonização são outros dos pontos abordados.

Ferramenta de apoio à transição para veículos elétricos

“O guia é mais uma importante ferramenta no apoio à transição para veículos elétricos, num momento em que a mobilidade elétrica mostra sinais de aceleração em Portugal e no mundo. O aumento crescente da quota de mercado, o fim do período transitório dos carregamentos gratuitos desde o dia 1 de julho, que inaugura uma nova era de carregamentos pagos nos Postos de Carregamento Normal (PCN) de acesso público, são tudo sinais que antecedem a fase de crescimento e disseminação da mobilidade elétrica e que confirmam a necessidade de oferecer informação a empresas e particulares que mostrem interesse em mudar”, refere Pedro Pessoa, diretor comercial da LeasePlan.

Há vários sinais que “confirmam a necessidade de oferecer informação a empresas e particulares que mostrem interesse em mudar” para os EV, diz a leaseplan.

4 fases da transição para o veículo elétrico

O guia está dividido em duas partes: uma de enquadramento em que se destacam as principais razões para a transição para veículos elétricos, como a redução de custos, a melhoria da qualidade do ar e da saúde dos cidadãos, bem como a contribuição para a proteção do ambiente; e uma segunda parte mais extensa e detalhada, onde se encontra cada uma das 4 fases da transição para o veículo elétrico.

  1. Na primeira fase, de Iniciação, identificam-se as oportunidades de transição: concretamente, seleciona-se os veículos disponíveis do mercado, identificam-se os subsídios ou benefícios fiscais associados e antecipa-se como será efetuado o carregamento desses veículos.
  2. Na segunda fase, de Preparação, sugere-se que o gestor de frota suporte a sua decisão em estudos de transição para a mobilidade elétrica.
  3. Na terceira fase, de Implementação (que, de preferência, deverá contar com um projeto piloto), procede-se ao desdobramento da infraestrutura de carregamento, necessariamente preparada antes da receção dos veículos. “Nesta fase, é muito importante formar, educar e motivar os colaboradores para a transição, bem como recolher e acompanhar alguns indicadores que asseguram a melhor transição possível”, afirma em comunicado a LeasePlan.
  4. Como último passo, na quarta fase, é recomendada a Avaliação de métricas que coloquem as empresas a competirem saudavelmente para o benchmark do seu setor de atividade, proporcionando a inovação e colhendo os benefícios práticos de ter uma frota elétrica.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of