Após a pausa forçada devido à pandemia da COVID-19, depois de cinco provas disputadas, o Campeonato FIA de Fórmula E já tem data e local de regresso.

Temporada descola em antigo aeroporto

O antigo e histórico aeroporto de Tempelhof, em Berlim, será o palco de seis eventos à porta fechada que irão ocorrer no mês de agosto em três pares de datas: 5 e 6; 8 e 9; e 12 e 13.

Para esta reta final do Mundial, o português Félix da Costa (da equipa DS Techeetah) parte na frente com 11 pontos de diferença para o segundo piloto da geral, Mitch Evans (da equipa Panasonic Jaguar Racing).

“Estou muito feliz por, finalmente, poder regressar às corridas. É um momento muito estranho para todo o planeta, mas é bom estar de volta às competições. Retomamos o campeonato como líderes, mas não podemos esquecer que metade da temporada irá acontecer em apenas 6 dias. Preparámo-nos para isso e vamos estar em Berlim com a mentalidade certa para vencer” – António Félix da Costa

Recordamos a classificação dos 10 primeiros da geral até ao momento:

        • Tempelhof, palco de mobilidade sustentável

          Relativamente ao palco onde a época da Fórmula E se decidirá, Tempelhof, vale a pena ressalvar duas curiosidades, ambas ligadas a mobilidade ecológica:

          após ter fechado como aeroporto (em 2008), esta infraestrutura foi reaproveitada, reabrindo em 2010 para funcionar como um parque utilizado para os berlinenses andarem de bicicleta, correrem ou andarem de skate.

          a segunda curiosidade é que Tempelhof foi palco entre 18 e 22 de maio de 2011 do evento Michelin Challenge Bibendum, cuja 11ª edição foi dedicada à mobilidade mais amiga do ambiente e tecnologia e no qual estivemos presentes.

          Tudo aconteceu há nove anos. Alguns dos modelos “eco” exibidos nesse Michelin Challenge Bibendum (antecessor do Movin’On Summit organizado atualmente pela mesma Michelin) foram Volvo V60 Plug-in Hybrid, Volvo C30 Electric (concept), Porsche Boxster E (com um motor elétrico em cada eixo a perfazer 180 kW e 540 Nm), Mercedes-Benz Classe A E‑Cell (200 km de autonomia entre cargas, ciclo NEDC, motor de 70 kW/95 cv) e Citroën Survolt.

          Outro dos veículos presente foi o protótipo do Audi A3 Sportback e-tron (elétrico com 125 km de autonomia), cuja atuação de condução foi-nos demonstrada, na altura, por Rob Kunst, do Audi Driving Experience.

          Audi A3 Sportback e-tron (concept), em 2011

          Rob Kunst explicava-nos, então, que a regeneração de travagem desse A3 Sportback e-tron assentava em cinco estágios progressivos, em que quanto mais força se exercia na travagem, maior a energia aproveitada.

          Esse evento de 2011 teve como mote “Clean, Safe, Connected” (“Limpo, Seguro e Conectado”) aplicado aos meios de transporte.

        • Praticamente uma década depois fomos aos arquivos recuperar algumas das citações e frases mais emblemáticas que os responsáveis das diferentes empresas e também políticos presentes produziram e que revelavam as suas esperanças e reticências em relação à massificação de “automóveis verdes”.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of