A seguir a uma fase piloto que abrangeu Alemanha, Grã-Bretanha, Polónia e EUA, a Porsche decidiu expandir o seu programa de compensação de CO2, “Porsche Impact”.

O serviço passa a estar disponível em mais 15 países: China, Canadá, Singapura, Brunei, Camboja, Polinésia Francesa, Indonésia, Malásia, Nova Caledónia, Nova Zelândia, Sri Lanka, Tailândia, Vietname, Mongólia e Filipinas.

Como funciona?

Utilizando uma calculadora online, os clientes da sigla desportiva podem determinar a pegada de CO2 dos seus automóveis desportivos e apoiar financeiramente projetos para a compensar.

Sabia que…
… na sua fábrica principal em Zuffenhausen, a Porsche utiliza exclusivamente eletricidade a partir de energias renováveis e biogás para produção de calor?

Durante o período piloto, o qual teve lugar entre dezembro de 2018 e abril de 2020, foram compensadas cerca de 45.000 toneladas de dióxido de carbono, dica a marca de Estugarda.

Albrecht Reimold, membro do conselho executivo para produção e logística na Porsche AG, sublinha “que com o Porsche Impact, oferecemos aos clientes a oportunidade de fazerem a sua própria contribuição e de compensar as suas emissões pessoais de CO2.”

receitas vão para projetos climáticos

Como parte do Porsche Impact, os clientes podem optar entre vários projetos internacionalmente certificados.

As iniciativas disponíveis focam-se:

  • na proteção das florestas nos EUA,
  • na proteção sustentável dos habitats no Zimbabué
  • na produção de energia através da água e do vento no Vietname e na China
  • em projetos de conservação das florestas em países como o Canadá e a Austrália.

A contribuição da compensação particular é baseada no consumo, na quilometragem anual e no programa de apoio selecionado.

Por exemplo, o montante da compensação para um Porsche que tenha percorrido 15.000 km com um consumo médio de 12 litros por cada 100 km percorridos é entre 46 e 104 euros por ano.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of