Para assegurar que o ar que se respira dentro do habitáculo do automóvel tem a maior qualidade possível, a Volvo efetuou uma atualização ao seu sistema Clean Air.

O novo sistema Volvo Air Quality permite reduzir ou eliminar de forma eficiente os níveis de PM 2,5 (poluente atmosférico constituído por partículas finas que são prejudiciais à saúde) no interior do veículo, contribuindo para um ambiente mais saudável no habitáculo.

Desenvolvido inicialmente para o mercado chinês e agora distribuído globalmente, este sistema permite aos condutores monitorizar a qualidade do ar interior através do ecrã central do automóvel.

O dispositivo assenta num purificador de ar avançado capaz de neutralizar as partículas do ar nocivo de forma a que sejam capturadas num filtro evitando que entrem no interior do automóvel.

Por seu lado e dentro do habitáculo, os níveis de partículas PM 2,5 são constantemente monitorizados por um sensor ótico. Esses valores de partículas são apresentados no mostrador central, permitindo que o ar que se respira no interior seja sempre o mais limpo e saudável possível.

O Sistema Air Quality Volvo está, para já, disponível nos modelos da gama 90 e 60.

Mediante a avaliação feita, o filtro de ar avançado pode limpar o ar do habitáculo de quase todas as partículas minúsculas em poucos minutos.

O condutor poderá ativar esta tecnologia também através da aplicação Volvo On Call (no smartphone), permitindo consultar a qualidade do ar no interior antes de entrar no seu modelo.

  • Quão pequenas são as partículas PM2,5?


    A sigla PM refere-se a material particulado (“Particulate Matter”, no inglês
    ou poluição por partículas).

    Consiste numa mistura de partículas finas, tanto sólidas,
    como gotículas de líquido encontradas no ar.

    PM2.5 são partículas finas inaláveis, com diâmetros de 2.5 micrometros
    ou menores como compostos orgânicos, metais e outros. O seu diminuto
    tamanho faz com que possam ser respiradas e até alcançar a corrente sanguínea.

    Representam um elevado risco para a saúde, sendo causa de reações alérgicas,
    rinite, sinusite, asma, entre outros problemas respiratórios. A ciência também
    indica que as partículas potenciam a morte prematura de cardíacos
    e originam diversos problemas do coração como arritmia cardíaca.

    A queima de combustíveis fósseis, os veículos com motores de combustão (especialmente, Diesel) são fontes de partículas. Muitas PM formam-se
    como resultado de reações químicas entre poluentes.

    ► Para se ter uma ideia de quão pequeno são 2,5 micrometros, a Agência
    de Proteção Ambiental dos EUA (EPA) sugere o seguinte exercício:
    pense num único fio de cabelo da sua cabeça. O cabelo humano médio
    tem cerca de 70 micrometros de diâmetro, o que o torna
    30 vezes maior do que a maior das partículas finas.

    Fonte: EPA

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of