eConsortium: primeiro petroleiro do mundo livre de emissões de carbono

0
505

O mercado dos elétricos vai ser mais uma vez expandido, desta vez à indústria petrolífera.

A eConsortium, composta por sete empresas japonesas, assume-se empenhada no desenvolvimento de embarcações elétricas. O grupo planeia lançar, em março de 2022, um petroleiro elétrico livre de emissões poluentes. A concretizar-se, este será o primeiro petroleiro do mundo com zero-emissões. O projeto foi apresentado durante o evento Green Car Congress.

A embarcação, ainda em desenvolvimento, será apoiada por uma bateria de iões de lítio de grande capacidade. Há quem afirme, com base no seu design, que este petroleiro elétrico necessitará de uma bateria de 3.5 megawatt/hora (Mwh). Ou seja, 35 vezes a capacidade das baterias de 100 kilowatts/hora (kWh) usadas nos Tesla Model S e Model X.

Além disso, este transporte ecológico será dotado de um total de quatro motores. Dois deles, instalados na popa, terão 300 kW e cerca de 408 cv cada. Estes permitirão, por exemplo, a realização de manobras a 360º. Os restantes motores serão instalados na proa do navio e terão menor potência, cada um com cerca de 92 cv. Servirão essencialmente para apoiar a realização de manobras de acostagem.

Ainda pouco se sabe acerca da autonomia deste veículo, no entanto, “o consórcio menciona que a energia a bordo será suficiente para alimentar o navio durante 10 horas a meia potência e, como este possuirá uma velocidade de cruzeiro de 11 nós, tudo aponta para 110 milhas náuticas, ou seja, cerca de 200 km”, avança o jornal Observador.

O petroleiro elétrico da eConsortium será usado para abastecer navios de maiores dimensões, por exemplo barcos cruzeiros, em zonas em que não lhes seja possível fazer o respetivo atrancamento.

 

Preocupação com as emissões de carbono

Em 2017, um estaleiro chinês alegou ter construído um navio de carga elétrico – para transportar carvão. Dois anos depois registou-se a atividade de múltiplas embarcações elétricas. Também em 2019, uma linha de cruzeiros apresentava o seu novo navio elétrico com capacidade para albergar até 500 passageiros.

Note-se que, independentemente da carga que transportam, os navios são responsáveis por elevados níveis de emissões de carbono. Para ter uma noção, um estudo de 2009 indica que um navio de carga polui o equivalente a 50 milhões de carros.

A esmagadora maioria dos esforços para reduzir emissões de carbono em alto mar são focadas nas embarcações mais pequenas. Não será isto um tanto inadequado tendo em conta que existem pesquisas a comprovar que navios de maiores dimensões, como os cruzeiros, são também grandes fontes de poluição?

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of