Já aqui tínhamos visto (e ouvido) como é que a BMW está a trabalhar no som dos seus próximos híbridos plug-in e BEV. Agora é a vez da Polestar dar conta de como desenvolveu o aviso acústico dos seus veículos com o intuito de melhorar a segurança a baixas velocidades.

Projetado para ser reconhecido mas não intrusivo e com um som natural, o Acoustic Vehicle Alert System (AVAS) foi projetado de acordo com parâmetros muito específicos tendo uma patente pendente.

“Não queríamos que o Polestar 2 soasse como um robot ou como uma nave espacial. Queríamos sons subtis e muito naturais que fossem simplesmente capazes de informar os peões que o automóvel se está a movimentar. Ao mesmo tempo queríamos que o modelo  soasse de forma única e que se identificasse como um Polestar”, refere Thomas Ingenlath, CEO da marca.

Os engenheiros de som prestaram uma atenção específica ao posicionamento dos altifalantes externos para garantir que a maneira como o som é irradiado do veículo respeite os requisitos legais e garanta uma experiência confortável para peões e passageiros.

Nada melhor do que ouvir os sons criados para quando este veículo se aproximar de ciclistas e peões:

 

Devido ao seu silêncio, os veículos elétricos e híbridos estão obrigados na Europa, desde julho do ano passado, a estarem equipados com sistemas AVAS (Acoustic Vehicle Alerting System) ou SAAV (Acoustic Vehicle Warning System).

Trata-se de mecanismos que geram artificialmente som para que os peões e ciclistas possam perceber que se aproxima um destes veículos.
Esse alerta sonoro tem de ser emitido quando os automóveis estiverem a fazer marcha-atrás ou a rolar abaixo de 20 km/h, proporcionando maior confiança aos utilizadores vulneráveis da estrada.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of