A Alto – Perfis Pultrudidos, empresa da Maia especialista no fabrico de materiais compósitos e spin-off do INEGI, aliou-se ao INEGI para desenvolver novos produtos baseados na redução do desperdício e reaproveitamento de fibra de vidro.

Isto porque parte da fibra de vidro, ainda no estado virgem, que utiliza acaba em aterro sanitário. Mas com a ajuda do INEGI, irá agora ganhar nova vida na forma de um gradil de sarjeta.

Um desses novos produtos que está pensado ser feito é um gradil de sarjeta.

“O reaproveitamento de matérias-primas numa lógica de economia circular ainda é um desafio. É necessário encontrar soluções inovadoras, tanto ao nível da eficiência da utilização como das técnicas, que permitam reaproveitar o desperdício e transformá-lo num novo produto. Isto sem nunca descorar a sua viabilidade comercial, que é essencial para a competitividade deste tipo de produtos”, explica Rui Mendes, responsável pelo projeto no INEGI.

Neste processo, o INEGI terá a seu cargo o “desenvolvimento de produto e adaptação ao processo de fabrico” e o “estudo e desenvolvimento de processos e ferramentas para o reaproveitamento da fibra de vidro a aplicar no contexto da ALTO”, declara Rui Mendes.

Segundo Rui Mendes, “o trabalho está em curso e prevê-se que à data do fim do projeto o gradil de sarjeta compósito esteja pronto a ser comercializado”, acrescenta.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of