Portugal registou um crescimento de 10% na recolha seletiva de embalagens em 2019, face a 2018, tendo sido encaminhados para reciclagem mais de 388 mil toneladas de resíduos de embalagens.

Destaque para o aumento de 9% na retoma de vidro, que continua a contribuir para que possam ser atingidas as suas metas.

A reciclagem valoriza os diferentes materiais que, desta forma, têm a oportunidade de ter uma nova vida, através da incorporação em ciclos produtivos que resultam em novos produtos.

Por comparação ao ano anterior (2018), de acordo com os dados da Sociedade Ponto Verde, a recolha seletiva de vidro cresceu 15.872 toneladas.

Entre os resultados obtidos em todo o Sistema Integrado de Gestão de Resíduos de Embalagens (SIGRE) há igualmente aumentos da valorização de outros materiais: reciclagem de papel/cartão (subida de 14%), madeira (mais 34%), aço (crescimento de 7%), alumínio (subida de 14%) e plástico (5%).

Em valores absolutos, face a 2018, a recolha seletiva de papel aumentou 8387 toneladas, a do plástico subiu 2681 toneladas, a do metal cresceu 606 toneladas e a da madeira aumentou uma tonelada.

Resultados podem abrandar em 2020

“Estes dados registados em 2019 revelam que Portugal tem estado a seguir um caminho que permite o cumprimento das metas de reciclagem de embalagens. Contudo, consideramos que estes resultados poderão vir a abrandar em 2020, decorrente da fase de pandemia COVID-19 que o país, e todo o mundo, atravessa”, assinala Ana Isabel Trigo Morais.

A CEO da Sociedade Ponto Verde entende que “devemos olhar para o setor da gestão de resíduos avaliando as medidas de ajustamento necessárias, desde logo nas metas de reciclagem, a promover pelo Governo e autoridades, sendo que, neste momento, a prioridade é acautelar todas as acções necessárias à segurança da população e dos trabalhadores que diariamente continuam a assegurar a recolha de lixo e recicláveis. Não podemos abandonar os desafios da sustentabilidade e da Economia Circular”

Para a responsável da Sociedade Ponto Verde “não podemos deixar de sublinhar que é igualmente importante que os portugueses não abandonem os seus bons hábitos de reciclagem, separando as embalagens em casa. No regresso da normalidade, teremos todos novos desafios a superar e o compromisso com a reciclagem e com a sustentabilidade ambiental será de grande relevo. De facto, retiramos daqui a importante lição que apostar em atitudes responsáveis e solidárias têm real impacto positivo no mundo”.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of