A Casa Ojalá começou a ser comercializada recentemente e há duas palavras que a caracterizam: versatilidade e sustentabilidade.

Com apenas 27 m², a sua estrutura permite desenvolver mais de mil configurações diferentes no seu interior. Fica assim evidente a versatilidade da habitação.

Originalmente a Casa Ojalá é composta por dois quartos, casa de banho, sala de estar, cozinha e terraço. No entanto, o imóvel contém paredes deslizantes de tecido e madeira que permitem trocar facilmente um dos quartos por uma sala maior ou transformar toda a casa num terraço “tamanho familiar”, por exemplo.

A arquiteta Beatrice Bonzanigo inspirou-se num veleiro para desenvolver este projeto. Como resultado acabaram integradas na estética do edifício cordas, manivelas e roldanas.

Graças a todos estes elementos que acabámos de referir é concretizável a mudança total da forma como a Casa Ojalá está dividida sem nunca comprometer a sua configuração original. Para isso também contribuem os painéis integrados no teto e chão do imóvel.

Um imóvel sustentável

A sustentabilidade é outras das características mais notórias da Casa Ojalá. Prova disso é o facto desta estar munida de um sistema que recolhe a água da chuva. Graças a este mecanismo é possível reaproveitar um recurso tão escasso hoje em dia.

Além disso, dá para instalar painéis fotovoltaicos na habitação e a cozinha vem equipada com um fogão “alimentado” a bioetanol.

Os sistemas elétricos e de água são completamente independentes da Casa Ojalá e fácil de montar. Desta forma a habitação pode ser instalada livremente em qualquer paisagem sem ser condicionada pelas restrições de conexão à rede civilizada.

Falta apenas dizer que já é possível inscrever-se na lista de espera para adquirir a Casa Ojalá. Para isso só precisa de aceder ao site do projeto e preencher o formulário disponibilizado na plataforma.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of