A Audi desvendou o segundo modelo da sua gama e-tron. O modelo em causa é o e-tron Sportback, um crossover com traços de coupé com tração integral (graças aos seus dois motores elétricos).

O e-tron Sportback surgirá com duas versões: 50 quattro e 55 quattro.

O e-tron Sportback 50 quattro possui 230 kW (313 cv) e 540 Nm de binário, ao passo que o 55 quattro tem 300 kW (408 cv) e 664 Nm.

e-tron Sportback 50 quattro

O e-tron Sportback 50 quattro oferece uma potência total de 230 kW e 540 Nm de binário [consumo combinado de energia elétrica em kWh/100 km: 26,3 – 21,6 (WLTP)].
O sistema, que pesa cerca de 120 kg menos do que a bateria do Sportback 55 quattro, fornece 71 kWh de energia bruta (64,7 kWh net, ou seja, de aproveitamento real).

Isto permite ao SUV coupé uma autonomia de 347 km com carga completa no ciclo WLTP.

O Audi e-tron Sportback 50 quattro acelera dos 0 aos 100 km/h em 6,8 segundos e tem uma velocidade máxima de 190 km/h [consumo combinado de energia elétrica em kWh/100 km: 26,3 – 21,6 (WLTP); emissões combinadas de CO2 em g/km: 0].

O e-tron Sportback 50 quattro tem um pack de baterias de 71 kWh (64,7 kWh de aproveitamento real).

A autonomia da versão 50 é de até 347 km.

O seu preço arranca nos 72.618 euros.

e-tron Sportback 55 quattro

O Audi e-tron Sportback 55 quattro, no modo de condução “D”, a potência total é de 265 kW/360 cv e o binário de 561 Nm [consumo combinado de energia elétrica em kWh/100 km: 26,0 – 21,9 (WLTP); emissões combinadas de CO2 em g/km: 0]. Nesse modo, necessita de 6,6 segundos para cumprir 0-100 km/h.

No modo “boost”, o sistema atinge os 300 kW/408 cv e binário máximo de 664 Nm durante um período máximo de oito segundos. Neste modo, o e-tron Sportback acelera de 0 a 100 km/h em 5,7 segundos e a velocidade máxima é limitada a 200 km/h.

O e-tron Sportback 55 quattro garante 95 kWh de capacidade de baterias (86,5 kWh reais) e funciona com uma tensão nominal de 396 volts.

A variante 55 quattro anuncia 446 km de alcance (WLTP) – mais 10 km face ao e-tron convencional.

O seu preço custa na casa dos 88.400 euros.

Diferenças entre as duas versões do e-tron Sportback

O e-tron Sportback chega a Portugal durante a primavera, desde 72.618 euros, que inclui contrato de manutenção e extensão de garantia, ambos com uma duração de 4 anos ou 80.000 km.

Capacidade bruta e líquida da bateria

A capacidade da bateria de alta tensão de um veículo elétrico é dividida em capacidade bruta e líquida. A capacidade bruta descreve toda a capacidade física de uma bateria de alta tensão. No entanto, para proteger-se da descarga automática, aumentar a vida útil e garantir a reserva de arranque de emergência, há uma limitação técnica no teor de energia teórica disponível. Esse conteúdo real de energia utilizável é chamado de capacidade líquida. No caso do e-tron Sportback, estes são os valores das capacidades bruta e líquida das baterias:

Dimensões e design

O Audi e-tron Sportback tem um comprimento total de 4901 mm, uma largura de 1935 mm e uma altura de 1616 mm.

Com uma distância entre eixos de 2928 mm, o Audi e-tron Sportback transporta cinco ocupantes. A altura ao tejadilho na secção traseira é apenas 20 mm menor do que no Audi e-tron. O piso traseiro é praticamente plano.

A bagageira tem 615 litros e, com o rebatimento dos bancos, pode chegar aos 1655 litros.

Um total de treze acabamentos de pintura estão disponíveis para este SUV coupé 100% elétrico, incluindo a nova cor metalizada Azul Plasma, exclusiva do Audi e-tron Sportback.

O logótipo posicionado junto à tampa do carregador elétrico é em laranja, podendo a mesma cor ser aplicada nas maxilas dos travões se o cliente desejar.

Os arcos das rodas e as soleiras apresentam acabamento em antracite mate, de série, para sublinhar o aspeto offroad. O mesmo se aplica à proteção inferior da carroçaria, ao difusor e às soleiras das portas, todas pintadas de preto.

Os faróis digitais Matrix LED são uma nova funcionalidade, disponível de série.

Sistema de iluminação digital matrix LED do e-tron Sportback

Cx melhor que e-tron

Na linha exterior Advanced, os acessórios possuem um acabamento em cinzento contraste ou, como opção, na cor da carroçaria. Neste caso, a proteção inferior da carroçaria e o difusor apresentam uma tonalidade em prata mate. A versão S line está equipada de série com jantes de 20 polegadas e suspensão pneumática desportiva. Em contraste com o modelo base, os acessórios do pacote exterior S line são pintados na cor da carroçaria, incluindo os acabamentos nos guarda-lamas, soleiras das portas, para-choques e espelhos retrovisores exteriores. A Audi também oferece o “Pacote Negro”, que acentua a área da grelha “singleframe”, as janelas laterais e o para-choques. As caixas dos espelhos retrovisores exteriores também estão disponíveis em preto, como opção.

Fruto das suas linhas mais desportivas, o e-tron Sportback (e com a linha exterior S line e os opcionais espelhos retrovisores virtuais), consegue um coeficiente aerodinâmico, com um valor Cx de 0,25, melhor do que o seu irmão Audi e-tron.

Vários outros elementos também contribuem para se atingir este valor de coeficiente de aerodinâmica: a grelha dianteira ativa (que altera a abertura consoante as necessidades de arrefecimento) e o revestimento inferior completo (com pequenas saliências para ajudar o fluxo do ar).

Também a proteção inferior em alumínio, que protege a bateria, conta com os buracos da conexão dos parafusos em “pratos” recuados, que criam deliberadamente pequenas concavidades que ajudam o ar a fluir melhor.

O design, que minimiza a turbulência, acaba por beneficiar também o consumo. No ciclo WLTP, o SUV coupé alcance até 446 km com uma única carga da bateria, o que é uma autonomia ligeiramente superior ao e-tron em cerca de 10 km, o que pode ser atribuído a uma carroçaria aerodinamicamente mais favorável.

Espelhos virtuais

Tal como no e-tron, também este e-tron Sportback disponibiliza câmaras de alta resolução para substituir os retrovisores convencionais. As imagens são apresentadas ao condutor em monitores OLED de 7 polegadas, cuja intensidade de brilho se ajusta automaticamente. A função de comutação existente permite ao condutor regular o espelho virtual do lado do passageiro.

Os retrovisores exteriores virtuais são um opcional que custa 1.860 euros.

Relativamente à tração integral, o sistema regula continuamente a distribuição ideal do binário entre os dois eixos. Na maioria dos casos, o e-tron Sportback usa principalmente o motor elétrico traseiro para obter a mais elevada eficiência – o binário é geralmente distribuído com prevalência no eixo traseiro.

Se o condutor pretende obter mais potência do que o motor elétrico traseiro pode fornecer, a tração elétrica nas quatro rodas redistribui o binário ao eixo dianteiro, conforme necessário.

Esta distribuição também acontece de forma preventiva, antes que a viatura derrape em piso escorregadio ou em curvas a alta velocidade, ou em situações de subviragem ou sobreviragem.

Sabia que…
… o e-tron Sportback é produzido em Bruxelas?

A bateria está localizada entre os eixos, num bloco sob o habitáculo, o que lhe baixa o centro de gravidade. De acordo com a marca, a distribuição da carga entre os eixos é equilibrada em praticamente 50:50.

A suspensão pneumática adaptativa consoante a velocidade é um dos elementos de série no e-tron Sportback, contando com um sistema de vetorização de binário integrado no próprio controlo da suspensão, distribuindo a potência com uma ligeira predileção ao eixo traseiro. É o controlo do sistema de tração que avalia o escorregamento das rodas e promove a distribuição da potência de forma imediata, num conceito de tração elétrica integral.

Modos “Sport” e “Offroad”

A Audi disponibiliza ainda um controlo eletrónico de estabilidade de quatro fases, com modos “Sport” e “Offroad”. Nos modos de condução do Audi drive select, o condutor pode variar as características do e-tron entre sete perfis– do mais desportivo ao mais. No total, o sistema é capaz de variar a altura ao solo até 76 mm. A atuação de elementos como a direção ou a suspensão é alterada pelo modo escolhido.

Os pneus de série têm a dimensão 255/55 R19 e destacam-se com a sua resistência de rolamento baixa. Em opção, os pneus até 22 polegadas também estarão disponíveis a partir de meados de 2020 – uma polegada mais do que no e-tron.

Sistema de recuperação garante 30% da autonomia

A Audi indica que os valores da autonomia se devem principalmente a um sistema de recuperação que é responsável por até 30% do seu valor total. Ou seja, dos 446 km anunciados no caso da versão 55 quattro, cerca de 134 km são atribuíveis à recuperação da energia cinética em modo de roda livre ou pela travagem.

Segundo a marca, em mais de 90% das travagens, o SUV elétrico aplica apenas os motores elétricos, que atuam como geradores. Ao travar desde os 100 km/h, por exemplo, o e-tron Sportback pode recuperar a energia elétrica num máximo de 300 Nm/220 kW. Até 0.3 g de desaceleração, o modelo recupera unicamente através dos motores elétricos. O sistema de travagem hidráulico é aplicado sempre que a desaceleração é superior a 0.3 g.

A bomba de calor, de série, aproveita o calor residual da bateria de alta tensão, podendo utilizar até 3 kW de perdas reais de energia para aquecimento e ar condicionado do interior. Dependendo da temperatura exterior, este sistema – refere o fabricante – pode aumentar a autonomia do Audi e-tron Sportback até 10% durante a condução.

Tempos de carregamento

O e-tron Sportback é proposto de série com um equipamento de carregamento que admite potências até 11 kW (até oito horas e meia de tempo de carga) de base.

Durante o carregamento a 11 kW de potência, quando a capacidade da bateria é inferior a 85%, cada hora de carga equivale a acrescentar cerca de 33 km de autonomia (em estrada e com condições favoráveis). Com essa potência, chega a 85% da bateria em cerca de 7 horas.

Para casas particulares com uma instalação elétrica monofásica, a Audi oferece dois tipos de carregadores portáteis. Um deles utiliza uma ficha tipo “Schuko” – a denominação técnica das fichas domésticas –, que só pode carregar com uma intensidade de 10 ampere (2,3 kW de potência), sendo necessárias cerca de 40 horas para realizar um carregamento completo. O outro carregador requer a instalação de uma ficha industrial monofásica, que permite carregar até uma potência de 7,2 kW.

Além destes dois tipos de carregamento, o cliente pode adquirir para o seu e-tron um cabo Tipo 2 (Mennekes), para poder utilizar os pontos de carga públicos que possuem este tipo de ligação, e que se encontram na via, em hotéis e estacionamentos de centros comerciais. Este tipo de pontos de carga não está geralmente equipado com cabos, pelo que o proprietário terá de ter o seu próprio.

Posto de carregamento e-tron Charging Service

Quando se está na estrada, pode recarregar-se num posto de carregamento e-tron Charging Service. “Através do sistema de carregamento e-tron Charging, o condutor terá mais de 120.000 postos de carregamento públicos à disposição na Europa, num número que continua a aumentar”, esclarece a marca. Com um único cartão pode aceder a todos os postos de carregamento públicos ligados à Mobi.e, sejam em corrente alterna ou contínua, de 11 kW a 150 kW. O cliente terá de realizar o registo no portal myAudi e concluir um contrato individual. A interface myAudi permite uma utilização mais eficiente e com o máximo de comodidade dos serviços Audi e-tron, através do smartphone, tablet ou PC. No futuro, porém, a simplificação será ainda maior, com a funcionalidade Plug & Charge, que elimina a necessidade de ter um cartão – o próprio automóvel autoriza o carregamento e desbloqueia a estação de carga.

 

O sistema opcional de carregamento “connect” duplica a potência de carregamento até 22 kW (não disponível no lançamento).

Esse carregador (com ligação para ficha trifásica) permite carregar a 22 kW de potência em AC. Com este tipo de carregador, a bateria pode ser totalmente recarregada em 5 horas. Para poder aproveitar este carregador de 22 kW, também é necessário equipar o e-tron com um segundo carregador interno, que seja capaz de aplicar e gerir esta potência.

O sistema de carregamento móvel, de série, pode ser usado numa tomada doméstica de 230 volts ou numa tomada trifásica de 400 volts.

e-tron vs. e-tron Sportback: a diferença está (quase só) no formato

Em termos de dimensões, e-tron Sportback e e-tron são iguais no comprimento, largura e entre eixos. Motivado pelo diferente formato de carroçaria, o e-tron Sportback é 11 mm mais baixo em altura. As vias dianteiras tdos dois modelos êm a mesma dimensão, diferendo apenas na via traseira (1.655 mm do e-tron Sportback contra 1.652 mm do e-tron).

A linha coupé do tejadilho destaca o caráter mais desportivo do e-tron Sportback face ao e-tron convencional.

Ainda por comparação ao e-tron convencional, o e-tron Sportback tem o óculo traseiro mais inclinado, destacando-se na secção traseira um spoiler integrado na tampa do porta-bagagens e um pequeno difusor no para-choques.

[clique nas imagens para aumentar o tamanho]

 

 

 

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of