COVID-19: Seat adaptou motor de limpa para-brisas para criar ventilador

    A marca automóvel Seat está a produzir ventiladores assistidos, a partir da adaptação de um motor de limpa para-brisas e da linha de montagem do modelo Leon, em Martorell, Espanha.

    0
    407

    A linha de montagem do Seat Leon na fábrica de Martorell, em Barcelona, está adaptada para a produção de ventiladores para os hospitais como forma de colaborar com o sistema de saúde no meio da dramática crise da COVID-19.

    Passar da produção de automóveis a ventiladores em tempo recorde é o resultado do trabalho intenso de muitos colaboradores e da sua solidariedade: “A motivação de todas as pessoas envolvidas neste projeto é ajudar na forma como sabemos, que é produzir em massa, desta vez para salvar vidas”, declara Nicolás Mora, da área de produção da Seat Martorell.

    Para concretizar a produção dos ventiladores, uma equipa de engenheiros tem estado, desde o início da pandemia, a desenhar vários protótipos de ventiladores, 13 no total, até que o modelo final ficasse finalizado.

    Como tudo foi adaptado?

    O objetivo a que a marca espanhola se propôs foi fabricar os ventiladores com a mais alta qualidade. O resultado é o OxyGEN.

    Com engrenagens impressas na Seat, eixos da caixa de velocidades e o motor adaptado de um limpa para-brisas, o projeto dos ventiladores tomou forma.

    Desenhado em colaboração com o Protofy.XYZ, os ventiladores estão a ser montados nas instalações da SEAT.

    Ao todo, 150 colaboradores de diferentes áreas mudaram o seu local de trabalho habitual para montar os ventiladores onde costumavam ser montadas as partes do modelo Leon.

    “Modificar uma linha de montagem que fabrica uma subestrutura, uma peça de automóvel, e ser capaz de transformá-la para fabricar ventiladores tem sido um trabalho árduo que envolve muitas áreas da empresa e nós fizemo-lo no tempo recorde de uma semana”, sublinha Sergio Arreciado da área de engenharia de processos da Seat.

    150 colaboradores de diferentes áreas da empresa trabalham há uma semana no modelo final, depois de terem realizado 13 protótipos

    O resultado deste projeto foi possível graças à colaboração de muitas empresas e entidades que a Seat, em comunicado, faz público conhecimento de que gostaria de agradecer, especialmente à Agência Espanhola de Medicamentos e Produtos de Saúde. As empresas e entidades que colaboraram foram: Protofy.XYZ, CMCiB, Universidade de Barcelona, Recam Laser, Doga Motors, Luz Negra, Ficosa, Bosch, IDNEO, Secartys e LCOE.

    Cada ventilador tem mais de 80 componentes eletrónicos e mecânicos e passa por um exaustivo controlo de qualidade com esterilização por luz ultravioleta.

    Teste de qualidade

    Como parte do processo de aprovação, um modelo de ventilador está atualmente a ser submetido a testes prolongados.

    “Entretanto, a linha continua a funcionar graças a muitos colaboradores que dedicaram a este projeto várias horas de sono”, indica o construtor.

    “Só de saber que tentámos ajudar a salvar uma vida, todo este trabalho terá valido a pena”, diz Francesc Sabaté, da área de I&D da Seat.

    Deixe um comentário

    avatar
      Subscribe  
    Notify of