Elon Musk admite começar a produzir ventiladores para ajudar no combate ao COVID-19.
O patrão da Tesla assumiu isso num tweet, em resposta a um coro de pedidos de diferentes internautas que apelaram para que Musk ordenasse urgentemente às suas equipas para fabricarem ventiladores, designadamente para os EUA onde há já falta destes equipamentos que permitem salvar vidas devido ao surto da pandemia COVID-19 que afeta seriamente as vias respiratórias.

“A Tesla fabrica carros com sofisticados sistemas de climatização. A SpaceX fabrica naves espaciais com sistemas de suporte à vida. Os ventiladores não são difíceis, mas não podem ser produzidos instantaneamente. Quais os hospitais que têm essas faltas?”, perguntou Elon Musk na plataforma Tweet.

Mediante isso e dado que Musk referiu que a produção seria feita “se houver uma escassez”, muitos dos interlocutores “caíram em cima” do nº1 da Tesla, fazendo-lhe ver que em vários países a situação é crítica, pelo que se impõe que o empresário passe das palavras aos atos.

“Elon – olhe para aItália. Eles têm modernos sistemas de cuidados de saúde como os EUA e estão a decidir literalmente quem recebe um ventilador e quem morre. Se você e a sua equipa podem fabricar os ventiladores, inicie essa produção tão cedo quanto possível para salvar vidas. Trump e a sua equipa não são competentes para lidar com isso”, referiu o médico Jason Westin.

Jason Westin destacou: “Eu tenho um Tesla e acho que os seus planos para Marte são visionários. Seja um visionário aqui também. Também sou médico oncológico e assisto o que está a chegar aos nossos hospitais – completamente cheio de pacientes gravemente enfermos que ultrapassam em muito a capacidade de ventilação”.

 

Apesar da abertura de Musk para fabricar ventiladores, até ao momento, o CEO da Tesla, não veio esclarecer se, de facto, dará ordem para que, neste tempo de emergência mundial, as suas fábricas redirecionem a sua produção para o ataque ao COVID-19.

Tentando convencer Musk, o “mayor” de Nova Iorque, Bill de Blasio, escreveu, entretanto, a Musk, dizendo-lhe que, dada a gritante necessidade deste género de equipamento de assistência médica, está comprador e que o iria contactar diretamente:

General Motors e Ford disponíveis

Também nos EUA, outros construtores automóveis também se dispuseram a ajudar na luta contra a pandemia do coronavírus, caso da General Motors (GM) e da Ford.

A GM afirmou à agência Reuters que está a estudar “como podemos potencialmente apoiar a produção de equipamentos médicos, como ventiladores”.

Por seu lado, a Ford disse avaliar “a possibilidade de produzir ventiladores e outros equipamentos; tivemos discussões preliminares com o governo dos EUA e estamos a analisar a sua viabilidade”.

Em Inglaterra, a Ford, a Honda e a Toyota confirmaram que foram abordadas pelo Governo britânico para a possibilidade de ajudarem a produzir ventiladores.

“A Ford recebeu a especificação do ventilador do governo e está a considerar a viabilidade da sua produção”, explicou um porta-voz da marca.

Mas também apesar de toda esta disponibilidade da indústria automóvel, não é – pelo menos, até ao momento – garantido que os ventiladores serão efetivamente feitos nas linhas de montagem onde habitualmente nascem automóveis.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of