No âmbito da Lisboa Capital Verde e do programa de Zona de Emissões Reduzidas (ZER) da capital, o eixo da Avenida Baixa-Chiado vai sofrer uma revolução.

Nesta zona, já a partir de junho, só os veículos de moradores, lojistas, transportes públicos, motociclos e carros elétricos poderão circular.

E no quadro de um projeto mais ambicioso que pretende dar melhor qualidade de vida aos lisboetas prevê-se ainda em diversos locais neste referido eixo a supressão de faixas de rodagem, a criação de mais ciclovias (+5,7 km de extensão), bem como de ruas pedonais (mais 4,5 hectares de área pedonal).

“Lisboa é feita de escolhas. A nossa é menos carros, prioridade às pessoas e ao transporte público, e melhor qualidade do ar. Chegou o momento de Lisboa parar, inspirar e avançar. Vai nascer a nova ZER Avenida Baixa Chiado” – Fernando Medina

A lógica é alternar a fisionomia desta zona histórica a favor dos peões e dos transportes coletivos, o que implicará restringir fortemente o trânsito.

Compromissos assumidos

As alterações resultam do compromisso de redução de 60% nas emissões de CO2 até 2030, e de neutralidade carbónica até 2050.

3 fases de aplicação da restrição de trânsito no eixo Avenida Baixa-Chiado

Maio

Registo de veículos autorizados

Junho e Julho

Início do funcionamento da primeira fase da ZER Avenida Baixa Chiado, com controlo por parte dos agentes da Polícia Municipal e da EMEL, com caráter informativo e de sensibilização.

Agosto

Controlo de acessos e fiscalização plena

 

Para se poder aceder será necessário um destes três dísticos. Quem não os tiver, não pode entrar nesta ZER todos os dias, entre as 06.30h e a 00.00h. Por outras palavras, quem não tiver um destes três dísticos, só pode circular nas ruas da nova ZER entre as 00:01h e as 06.29h

Fernando Medina, Presidente da Câmara de Lisboa, não tem dúvidas: este “é um dos projetos mais marcantes deste mandato”, sendo ditado pela necessidade de reduzir a poluição e o congestionamento.

A estimada redução de 40.000 veículos na ZER Baixa-Chiado corresponderá a menos 60.000 toneladas de CO2 emitidas por ano, aponta a autarquia.

Av. da Liberdade

O que vai mudar
• Redução em 40% dos veículos que acedem à Baixa, com eliminação do tráfego de atravessamento e segmentação dos veículos autorizados a partir do Rossio
• Redução da utilização da Avenida como eixo de saída da cidade
• Reposição do modelo original de circulação ascendente/descendente nas laterais

• Alargamento e recuperação dos passeios e pavimentos nas vias laterais
• Eliminação de mais de 350 lugares de estacionamento de rotação à superfície (+ de 60% dos atualmente existentes)
• Introdução de ciclovias segregadas a ligar o Eixo Central à zona ribeirinha
• Aumento dos lugares específicos para cargas / descargas e tomada de passageiros nas laterais
• Redução de uma via ascendente no corredor central entre os Restauradores e a Barata Salgueiro.
• Criação do Passeio Público entre os Restauradores e a Rua das Pretas/Praça da Alegria

Av. Almirante Reis

O que vai mudar

• Introdução de ciclovia bidirecional no acesso à Baixa, entre a Praça do Chile e o Martim Moniz (que ligará o Areeiro à Zona Ribeirinha via Rua dos Fanqueiros e Rua do Ouro)
• Requalificação geral da Av. Almirante Reis, através de programa específico a desenvolver com os diversos agentes, nomeadamente do comércio local
• Requalificação da Praça do Martim Moniz e da Praça da Figueira com processo de participação pública

Baixa-Chiado

O que vai mudar

• Acesso condicionado exclusivamente a veículos autorizados entre as 6:30h/0:00h
• Acesso garantido a moradores, comerciantes, cuidadores, detentores de avença de estacionamento e garagens, veículos elétricos e motociclos
• Eliminação global de 250 lugares de estacionamento à superfície, nomeadamente na Rua dos Fanqueiros e Madalena
• Atribuição do estacionamento à superfície em exclusivo a residentes e cuidadores (aumento de 50% de lugares para residentes) e melhoria de acesso a parques
• Ordenamento de cargas e descargas, restringindo horários e locais de paragem, privilegiando período noturno
• Criação de hub-logístico de suporte à zona da Baixa, a desenvolver em parceria com os agentes económicos locais
• Qualificação e pedonalização de vários espaços da zona
• Reforço do transporte público
• Criação de ligações cicláveis entre o Eixo Central e a Zona Ribeirinha: Av. da Liberdade – Rua do Ouro e Av. Almirante Reis – Rua dos Fanqueiros
• Pedonalização plena da Rua Nova do Almada (acima do Largo da Boa Hora), da Rua Garrett e do Largo do Chiado
• Melhoria do espaço pedonal na Rua da Misericórdia, Largo Camões e Calhariz
• Melhoria das condições de circulação da Carris na Rua dos Fanqueiros

Envolvente Príncipe Real-São Bento

O que vai mudar

•Impedimento do atravessamento da colina, com criação de zonas reservadas ao peão e transporte coletivo na Rua da Misericórdia e Largo Camões
• Introdução de Corredor BUS na Rua de São Bento
• Eliminação do TOP 3 de tempos perdidos da Carris, nomeadamente Rua de São Paulo, Rua da Escola Politécnica e Rua dos Fanqueiros (na ZER) com mais de 350 interrupções de serviço em 2019
• Aumento do estacionamento exclusivo para residentes e bolsas específicas

 

Para reforçar a sustentabilidade da ZER, haverá uma nova carreira 100% elétrica da Carris, com autocarros a passar a cada três minutos, entre o Marquês de Pombal e a Praça do Comércio.

 

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of