Estivemos na apresentação da gama electrificada da Peugeot, em Sitges, Espanha. Dos novos modelos, destacam-se os dois elétricos, o e-208 e o e-2008. Ambos contam com um pack de bateria de 50 kWh, motor elétrico montado à frente com 100 kW (136 cv) e autonomias em ciclo WLTP de 340 e 320 km.

A oportunidade de estar com responsáveis da marca francesa permitiu colocar algumas questões adicionais. Muitas destas questões foram formuladas pelos nossos leitores. Aqui ficam as respostas, que surpreenderam os nossos interlocutores pela positiva. 

Richard Lopes foi o primeiro a avançar com perguntas interessantes.

No futuro haverá a possibilidade de carregar em AC a 22 kW?

Quem nos respondeu foi Anne-Lise Richard (Gestora responsável pelos veículos de emissões reduzidas da Peugeot). Disse-nos que foi equacionada a possibilidade de ter um carregador in-board de 22 kWh. Todavia, optou-se pela velocidade de 7,4 kWh como standard. Opcionalmente, um carregador para trabalhar com um sistema trifásico a 11 KW está disponível. Este carregador é igualmente eficiente para carregar em monofásico, pelo que não existe qualquer perda de velocidade, se o cliente optar pelo carregador de 11 kW.

Anne-Lise referiu ainda que a Peugeot optou por velocidades de carregamento que pudessem ser atingidas com bom desempenho. Alguns dos sistema que testaram a 22 kW não atingiam, segundo a Peugeot, este requisito.

A Peugeot considerou que os carregamentos em AC serão feitos sobretudo durante a noite, considerando satisfatório que, a 7,4 kW, uma carga completa demora 7h30 e a 11 kW, 5 horas.

Para já, a escolha do hardware condiciona a possibilidade de carregar a 22 kW. Nos próximos produtos ou atualizações, a Peugeot decidirá se é útil ou não fornecer essa opção.

Quais os concessionários em Portugal aptos a intervencionar os VE Peugeot?

Quem respondeu foi Jorge Magalhães (Director de Comunicação da Peugeot Portugal), dizendo que a certificação dos concessionários para trabalharem com os modelos electrificados terminou em dezembro passado. Há vários níveis de competência, de acordo com o tipo de intervenções que podem realizar, sendo que, o nível máximo é Expert.

Jorge Magalhães assegurou que a cobertura dos concessionários Expert será adequada para garantir apoio aos clientes em todo o país, não só para os VE Peugeot, mas também para os modelos electrificados das restantes marcas do grupo.

Qual o plano de manutenção para os e-208 e e-2008?

Os intervalos de manutenção são de dois anos ou 25.000 quilómetros para ambos os modelos.

Marcos Oliveira está curioso relativamente aos prazos de entrega dos novos elétricos Peugeot em Portugal.

Quando começam a ser entregues em Portugal o e-208 e o e-2008?

Jorge Magalhães garantiu que os primeiros e-208 já estão a ser entregues. O e-2008 entra em produção em março e as primeiras entregas em Portugal estão previstas para abril.

Telmo Azevedo avançou com várias questões de teor técnico.

Vai existir uma App de controlo remoto?

A resposta foi dada durante a apresentação de produto. A aplicação My Peugeot já existe e permite, no caso dos modelos elétricos, definir vários parâmetros do veículo. Pode agendar carregamentos, pré-aquecer ou refrigerar o habitáculo, localizar o veículo, entre outras funcionalidades. Após descarregar a aplicação, é necessário ativar a conta e introduzir o VIN do veículo.

Depois é preciso emparelhar o automóvel com o telemóvel do dono, uma ativação que tem que ser feita com acesso à rede comercial da Peugeot. A partir daí, está pronta a utilizar.

A Peugeot tem ainda uma segunda aplicação, Free2Move, que oferece diversas funcionalidades, entre as quais está a identificação de postos de carregamento livres.

Vai estar disponível a funcionalidade de regeneração adaptativa?

Quem nos respondeu foi Anne-Lise Richard, que ficou algo surpreendida com a pergunta. Não só não existe de momento como não sabia se estava em estudo.

Este tema também interessou a António Arantes, mas quanto à possibilidade de ter regeneração ajustável. De momento, os elétricos Peugeot têm apenas dois níveis de regeneração. Em D (Drive), esta representa 0,6 m/s e em B (engine Braking), 1,3 m/s.

Os níveis D e B são comutáveis no comando da transmissão do e-208 e e-2008, puxando a alavanca para três. Estes modelos têm três modos de condução: Eco, Normal e Sport, sendo que o nível de regeneração é idêntico em todos eles.

Todavia, Anne-Lise referiu que, quando a bateria tem carga completa, a regeneração é menor. Nessas condições, não há necessidade de recuperar energia.

Onde podemos consultar a percentagem de SoH (State of Health) da bateria?

Não é possível no ecrã no veículo. Só através do Certificado de Capacidade do Veículo, emitido no concessionário, que também foi referido na apresentação. Este certificado pode ser pedido em qualquer momento e, em princípio, é gratuito para quem tiver contrato de serviço.

Vai existir uma tarifa especial da Ionity para as marcas da PSA?

Não vai. Anne-Lise Richard explicou que a PSA não faz parte do consórcio da Ionity, mas os elétricos do grupo vão poder carregar nos seus postos. Havia a possibilidade de, mediante um pagamento anual (cerca de 180 euros), os clientes pudessem carregar com tarifas mais baixas. Mas a PSA entendeu que os clientes destes seus modelos não iriam beneficiar dessas condições, já que era preciso fazerem 15 carregamentos anuais.

Assim sendo, os elétricos da PSA podem carregar nos postos da Ionity, mas com o valor agora divulgado de 0,79 € por kW.

Para António Arantes e Sérgio Azevedo a questão das atualizações é importante.

Os elétricos Peugeot vão ter atualizações OTA (Over the Air)?

Não, disse Anne-Lise. Todas as atualizações serão feitas no concessionário. Questionada sobre se era uma possibilidade a venda de atualizações ou personalizações, disse-nos também que não.

A Peugeot pretende que os seus elétricos seja discretos e entende que é também esse o desejo dos seus clientes. Mas é possível que existam algumas versões de aspeto mais desportivo também nos elétricos, em breve.

Finalmente,  o nosso leitor Filipe Cardoso, preocupado com a questão da substituição das baterias…

Quanto custa substituir integralmente o pack de baterias do e-208 e do e-2008?

Anne-Lise sublinhou primeiro que a Peugeot não prevê que a substituição das baterias vá ocorrer, a não ser em casos muito excepcionais. O grupo PSA terá, em cada mercado, condições para intervencionar, reparar e substituir os componentes do pack, sempre que necessário.

Além disso, as baterias dos elétricos Peugeot têm garantia de pelo menos 70% da eficiência durante oito anos ou 160.00 km.

Todavia, existe um valor para este componente que, nos modelos referidos, é de 15.000 euros, mais mão-de-obra. Este valor não deverá ter grandes oscilações nos diferentes mercados europeus.

 Uma nota final de agradecimento aos nossos leitores que contribuíram com as suas interessantes questões e um cumprimento especial à Peugeot, pela disponibilidade e atenção ao detalhe que colocaram nas respostas.

A nossa experiência ao volante dos VE Peugeot e-208 e e-2008 será publicada em breve.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of