No dia 25 de janeiro tem lugar em Lisboa o “First Ride Academy”, um evento de sensibilização para as boas práticas de utilização das trotinetes. A iniciativa é promovida pela Lime e pelo Automóvel Club de Portugal (ACP) e visa a promoção de comportamentos conscientes que garantam a segurança de todos os utilizadores da via pública.

Esta ação decorrerá no ​parque Santos-Rio da EMEL que será transformado num circuito que simula um espaço de circulação rodoviária. A ideia é que os utilizadores possam experimentar um novo meio de transporte, num ambiente controlado e com os conselhos de um formador do ACP.

A iniciativa, que conta também com o apoio da Câmara Municipal de Lisboa e com a presença do Vereador da Mobilidade, Miguel Gaspar, será dividida em dois momentos – um de manhã, entre as 10h e as 13h, e outro durante a tarde, entre as 14h e as 17h –, nos quais os 60 primeiros participantes a inscreverem-se terão a oportunidade de experimentar as trotinetes da Lime e tirar todas as dúvidas  quanto às regras de circulação e de estacionamento deste meio de micromobilidade com um formador do ACP.

“First Ride Academy” decorre dia 25 de janeiro, em Lisboa.

“As trotinetes chegaram a Portugal há pouco mais de um ano e ainda são uma novidade. Sentimos que ainda existem muitas dúvidas quanto à sua utilização, por isso, quisemos entrar em 2020, o ano em que Lisboa ganha destaque na Europa como uma cidade sustentável, com uma iniciativa que incentive a utilização responsável deste meio de micromobilidade. A verdade é que, nas cidades atuais, existe uma grande variedade de plataformas disponíveis para as mais variadas deslocações, cada uma com as suas especificidades, e só uma pessoa informada pode fazer uma escolha consciente e utilizar de forma segura cada uma delas”, refere Nuno Inácio, diretor de expansão da Lime em Portugal.

O presidente do ACP reconhece, por seu lado, que “as trotinetas chegaram com uma velocidade tal, que já fazem parte da paisagem rodoviária”, pelo que “com a possibilidade de atingir velocidades na ordem dos 30 km/h, estes veículos circulam entre o trânsito intenso das cidades e ilegalmente pelos passeios. E se o uso do capacete deixou de ser obrigatório, é a nossa consciência que deve prevalecer”, sublinha Carlos Barbosa.

O responsável do ACP diz que “outra questão que é preciso interiorizar é que as trotinetas não são um brinquedo. São meios de locomoção, permitem fazer alguns quilómetros no meio do trânsito intenso e, como tal, é preciso conhecer as regras de circulação e também saber ‘conduzir’ a trotineta – ter equilíbrio, noção da distância de segurança dos outros utentes da estrada, saber travar, enfim uma série de aptidões que vão muito além de uma trotineta sem motor para as crianças andarem nos parques”.

As vagas para esta ação são limitadas a 60 participantes, sendo necessária uma inscrição prévia no site e que pode aceder clicando aqui.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of