A Galp encontra-se envolvida no lançamento do primeiro posto de abastecimento de hidrogénio em Portugal, que deverá abrir ainda este ano para abastecer uma frota de autocarros.

A notícia surge a propósito da adesão da petrolífera ao Hydrogen Council, uma associação de grandes empresas e instituições a nível mundial que visa promover o desenvolvimento do hidrogénio enquanto solução mais competitiva para a descarbonização de inúmeros setores.

No entanto, neste momento, a Galp ainda não especifica qual será a localização desse posto, nem qual será a frota de autocarros que irá servir.

Contudo, de acordo com o que o Watts On conseguiu apurar junto de outra fonte, Vila Nova de Gaia deverá ser a localização desse posto de abastecimento. Esta é, contudo, uma informação não oficial obtida pelo Watts On.

A adesão ao ao Hydrogen Council por parte da Galp ocorreu em simultâneo com a de outros 21 membros que, no total, elevam o número atual de associados desta associação para 81, incluindo grandes empresas de energia, transportes, indústria e, de hoje em diante, também do setor financeiro, que partilham uma visão comum sobre o papel do hidrogénio na transição energética.

Os 22 novos membros do Hydrogen Council são: CNH Industrial (via IVECO), Michelin, Saudi Aramco (via Aramco Overseas Company), Schaeffler Group, Siemens, Chart Industries, Chevron, ElringKlinger, Fortescue Metals Group, Galp, ILJIN Composites, MANN+HUMMEL, McDermott, Nikola Motor, Sinocat, Snam, Woodside Energy, Antin Infrastructure Partners, BNP Paribas, Crédit Agricole, John Laing e Société Générale.

A mais longo prazo, a Galp indica estar a avaliar outros projetos de larga escala, nomeadamente parcerias relacionadas com a produção de hidrogénio verde a partir de energias renováveis e a sua associação à descarbonização de processos industriais e à mobilidade, ou para injeção em redes de gás natural.

Estes projetos encontram-se abrangidos pelo objetivo estratégico assumido pela Galp de alocar cerca de 40% do seu investimento anual líquido a oportunidades relacionadas com a transição energética e em projetos que contribuam para a redução global de emissões de CO2.

Em comunicado, a Galp refere que produz anualmente já cerca de 120 mil toneladas de hidrogénio, o qual é utilizado no processo produtivo do seu sistema refinador.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of