Desde o dia 2 de janeiro que Barcelona passou a ter uma área de 95 quilómetros quadrados, na qual os veículos mais contaminantes não podem entrar. Trata-se de uma das mais amplas Zonas de Baixas Emissões (ZBE) existente e a maior do sul da Europa, superando 20 vezes em tamanho a área de Madrid Central que ocupa cerca de 5 km2.

Sabia que…
… Londres tem uma zona de baixas emissões de 21 km2, mas a partir de 21 de outubro de 2021 essa área passará para 360 km2?

Nesta área da capital catalã ficam impedidos de circular os veículos que não tenham a etiqueta ambiental da DGT, o que se aplica aos automóveis mais antigos, das 7h às 20h, nos dias úteis.

20% de veículos

De acordo com as estimativas das autoridades espanholas, um em cada cinco veículos (20%) que circula por Barcelona deixará de poder fazê-lo, o que afetará cerca de 87.000 veículos.

Quem será afetado?

No caso dos ligeiros, as viaturas afetadas são as de gasolina anteriores ao ano 2000 (norma Euro 3) e os Diesel anteriores a 2006 (Euro 4). Também abrangidos estarão os furgões anteriores a 1994 (Euro 1) e as motos antes de 2003. Progressivamente, as regras irão apertar para outras categorias de viaturas.

O controlo será efetuado através da leitura de matrículas nos acessos e dentro da cidade com 120 câmaras.

Num primeiro momento, as autoridades avisarão os infratores. A partir de 1 de abril, começarão a ser aplicadas multas de 100 euros aos veículos ligeiros sem a etiqueta da DGT e de 200 euros para veículos pesados. Se os ligeiros entrarem durante um episódio de contaminação também são multados em 200 euros. As coimas chegarão aos 500 euros se se tratarem de pesados que furem as regras durante episódios de contaminação.

Com esta medida, a previsão é de reduzir em 15% as emissões de óxidos de nitrógeno e em 6% as de CO2.

Se um infrator for detetado novamente passados 90 minutos, volta a ser multado.

Não obstante toda esta interdição, qualquer veículo afetado pelas restrições poderá circular 10 vezes ao ano, registando-se para tal no site zbe.barcelona. A autorização custará dois euros por dia.

Os automóveis históricos apenas poderão circular quando participarem em grupo em passeios, encontros ou provas.

Durante o primeiro ano desta zona de baixas emissões, haverá uma moratória para os veículos profissionais, como camiões e autocarros. Esta exceção pretende dar tempo a quem estiver abrangido e utiliza o veículo para trabalhar para atualizar as suas frotas.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of