A seguir ao Natal, os caixotes amontoam-se com restos das festas e ainda é visível que a redução e a separação seletiva não fazem parte das práticas de muitos portugueses: plásticos, papel, vidro e metal são, por exemplo, atirados de forma indiferenciada para o mesmo local, o lixo.

“Se a aposta na prevenção não resultou muito, é absolutamente fundamental que separe os materiais de embrulho e outros e os procure reutilizar”, refere a associação ambientalista Zero.

Encaminhar para ecopontos

Se tal não for possível, aponta a Zero, todos os resíduos devem ser devidamente encaminhados para os ecopontos para serem reciclados. “Se estes estiverem cheios, aguarde um ou dois dias, mas não coloque materiais/recursos que são valiosos no lixo indiferenciado”, sublinham os ecologistas.

A Zero lembra ainda para a importância de aproveitar a comida que possa ter cozinhado a mais. A palavra de ordem é “não desperdiçar”, sublinha a Zero que indica: “O que sobrou pode ser reutilizado noutros pratos. A melhor forma de conservar as sobras sem que estas entrem em contato com substâncias prejudiciais é utilizar recipientes feitos de vidro, de cerâmica ou de metal. Dentro do possível, evite recipientes em plástico, em particular se está a guardar comida com gordura ou se pretende aquecê-la”.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of