O IAPMEI e o Centro de Apoio Tecnológico à Indústria Metalomecânica (CATIM) no Campus Tecnológico de Ramalde, no Porto, assinaram ontem, 20 de dezembro, um contrato-promessa de constituição de direito de superfície para a construção de um laboratório de ensaios de eficiência energética e ecodesign.

Este edifício, a construir num lote de terreno de 1.900 m2, terá três pisos, contemplando um laboratório com vista a apoiar as empresas na exploração das oportunidades decorrentes da economia do hidrogénio, da digitalização (IoT) e da economia circular.

Trata-se de um investimento que ronda os 10 milhões de euros, a realizar faseadamente num quadro de três ou quatro anos, sendo que a entrada em funcionamento do laboratório é expectável que ocorra entre o final de 2020 e o início de 2021.

IAPMEI e CATIM celebram contrato para expansão de Centro Tecnológico

A constituição de direito de superfície para construção desta unidade tecnológica enquadra-se no Programa Nacional de Capacitação de Infraestruturas tecnológicas, cujo primeiro passo foi dado na passada 4ª feira, numa iniciativa que contou com a presença do Secretário de Estado Adjunto e da Economia.

“Este é um importante passo para o CATIM ter melhores condições para desenvolver o seu trabalho. Na quarta-feira lançámos o grupo de trabalho para a capacitação das infraestruturas tecnológicas que pretende expandir este tipo de políticas”, refere o Secretário Adjunto e da Economia.

João Neves destaca o facto do Estado pretender “promover e impulsionar mais e melhores condições para o desenvolvimento da tecnologia empresarial para que as nossas empresas possam aumentar os seus níveis de produtividade, competitividade e qualidade dos seus produtos”.

fileira do metal em Portugal vale mais de 18 mil milhões de euros.

O CATIM é uma instituição privada de utilidade pública sem fins lucrativos que resulta da associação de empresas industriais e respetivas associações com organismos públicos e que tem como missão apoiar o desenvolvimento técnico e tecnológico da indústria, contribuindo para a inovação e competitividade das indústrias nacionais da metalomecânica e sectores afins ou complementares.

O setor do Metal é atualmente responsável por cerca de 18% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional. A fileira do metal confirma a trajetória de crescimento num sector que em 2015 exportava 14,6 mil milhões de euros e fechou o ano passado nos 18,3 mil milhões de euros, 11% acima do registo de 2017, esperando-se que as exportações do setor atinjam os 20 mil milhões de euros em 2019.

O Programa Nacional de Capacitação de Infraestruturas tecnológicas propõe criar condições para que estas estruturas possam apoiar mais diretamente as empresas e setores da economia nacional através, nomeadamente, de atividades de I&D, de valorização e transferência de tecnologia, de disseminação e demonstração, de vigilância tecnológica, de certificação, de formação especializada e de apoio ao empreendedorismo.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of