O Porto de Lisboa recebeu o navio M/V Antonia para efetuar bancas ao largo e este navio foi o primeiro a receber o novo combustível marítimo menos poluente, com apenas 0,5% de enxofre, já de acordo com as regras estipuladas pela IMO (International Maritime Organization), para combater as emissões poluentes do transporte marítimo e que entrará em vigor a 1 de janeiro de 2020.

A decisão de implementar um limite global de enxofre de 0,50% m/m (massa/massa), em 2020, foi tomada pela OMI, a autoridade reguladora para o transporte marítimo internacional, durante a reunião da 70 ª sessão do seu Comité de proteção do ambiente marinho (MEPC), em Londres.

Esta medida representa um corte do limite global, de 3,5% m/m atualmente em vigor.

Este novo combustível, considerado um VLSFO (Very-low Sulphur Fuel Oil), foi distribuído pela Galp no fundeadouro do quadro central, situado na zona entre Alcântara e Belém, a partir da Estação de Assistência Naval do Porto de Lisboa (EANPL).

De acordo com a diretiva europeia de 2015 que se aplica aos estados membros da UE, o combustível que é utilizado pelos navios na área do Porto de Lisboa é já cinco vezes menos poluente, ou seja, tem no máximo 0,1% de teor de enxofre.

A regra de 0,5% de teor de enxofre aplica-se aos abastecimentos nas águas fora do Porto.

A monitorização, o cumprimento e a execução do novo limite são da responsabilidade dos governos e das autoridades nacionais dos Estados-Membros.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of