É já no próximo fim-de-semana que a cidade de Seia, distrito da Guarda, acolhe mais uma edição do CineEco – Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela.

O CineEco – Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela, é o único festival de cinema em Portugal, dedicado à temática ambiental, no seu sentido mais abrangente, que se realiza em Seia, anualmente em outubro e de forma ininterrupta, desde 1995, por iniciativa do Município de Seia. Trata-se de um festival que decorre na Casa Municipal da Cultura de Seia e no CISE – Centro de Interpretação da Serra da Estrela e que já ganhou grande prestígio internacional, concorrendo habitualmente mais de 600 documentários, oriundos de mais de 30 países.

O festival realiza-se de 12 a 19 de outubro e cumpre em 2019 a sua 25ª edição, contando com uma seleção oficial de 80 filmes, oriundos de 20 países, que abordam diferentes perspetivas relacionadas com o ambiente, com os tempos de emergência climática que vivemos e com o impacto da ação do homem no planeta.

A edição 2019 do CineEco terá como elo condutor a Água, bem essencial à (sobre)vivência e evolução.

10 filmes na Grande Competição

Para o Grande Prémio Internacional Longas Metragens concorrem 10 películas que testemunham vertentes diferentes, ainda que transversais, sobre a ação do Homem no Planeta.

São elas: “Genesis 2.0” (de Christian Frei e Maxim Arbugaev), “Grit” (de Cynthia Wade & Sasha Friedlander), “Lost reactor” (de Alexandra Westmeier), “Soñando un lugar” (de Alfonso Kint), “Le géographe et l’île” (de Christine Bouteiller), “Cold lands” (de Iratxe Fresneda), “Walden” (de Daniel Zimmermann), “Sheep hero” (de Ton van Zantvoort), “Are you sleeping, brother Jakob?” (de Stefan Bohun) e “L’homme a mangé la terre” (de Jean-Robert Viallet).

Nestas dez fitas, as formas de abordar o ambiente são distintas e de grande originalidade, indo desde o papel do Homem na própria (re)criação do mundo à história de uma sobrevivente de um “tsunami” de lama tóxica, passando pela viagem a uma ilha em forma de coração no sul do Japão, Iwaishima, que há mais de 30 anos luta contra a instalação de uma central nuclear ou ainda os paradoxos das rotas comerciais do mundo globalizado, entre outros temas.

Fique com uma ideia de cada uma desta dezena de fitas, com os trailers que aqui disponibilizamos:











Por seu lado, na competição Longas em Língua Portuguesa, há quatro películas em exibição: “Hálito Azul” (de Rodrigo Areias), “Amazónia, o Despertar da Florestania” (de Christiane Torloni e Miguel Przewodowski), “Understory” (de Margarida Cardoso) e “Alva” (de Ico Costa).

No âmbito do CineEco haverá ainda, contudo, muito mais exibições e competições: competição de documentários e reportagens para televisão; competição internacional curtas; competição longas língua portuguesa; competição curtas língua portuguesa; competição panorama regional língua portuguesa; e extra competição/sessões especiais dedicadas às crianças.

Decorrerá, em paralelo, a 2ª Edição do “Fórum Internacional de Festivais de Cinema de Ambiente”, exposições, instalações artísticas indoor e outdoor, debates Eco-Talks, um cine-concerto, workshops e oficinas de educação ambiental, provas de vinho e de gastronomia local.

Fique com o programa completo desta iniciativa, percorrendo a galeria de imagens.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of