Salto de Fafe-Lameirinha? Rali de elétricos vai fazê-lo em outubro

A primeira edição da Taça de Portugal de Novas Energias-Electric Rally terá lugar nos dias 25, 26 e 27 de outubro. Vai disputar-se na Região do Vale do Ave.

0
1503

Nos dias 25, 26 e 27 de outubro vai disputar-se na Região do Vale do Ave a primeira edição da Taça de Portugal de Novas Energias-Electric Rally.

Contando com o apoio da AMAVE (Associação de Municípios do Vale do Ave), a Taça de Portugal de Novas Energias é uma competição reservada a viaturas elétricas de série, e será disputada na variante de regularidade, com setores seletivos de rampa, rally e circuitos citadinos, nunca se solicitando o cumprimento de médias horárias superiores a 50 km/h.

Poderão participar todos os veículos puramente elétricos ou carregados através de uma célula de combustível a hidrogénio.

Rali elétrico vai percorrer os cinco concelhos da Região do Vale do Ave.

Paulo Almeida, presidente da comissão organizadora da 1ª Taça Portugal Novas Energias, salientou que esta competição pretende dar “passos firmes na descarbonização da mobilidade”.

O presidente da organização da prova destacou alguns dos momentos mais importantes que a prova terá: o arranque em Guimarães, com a cerimónia de partida e da Rampa da Penha, continuando por Fafe com as “Classificativas do WRC com “Confurco e salto de Fafe-Lameirinha”, passando, ainda, em Vila Nova de Famalicão onde terá lugar a “Electric Street Stage” noturna e em Vizela o “Circuito das Caldas de Vizela”, acabando com a “Power Stage” e a cerimónia final do pódio, em Santo Tirso.

Paulo Almeida explicou que esta competição procura recuperar o que se fazia no passado na modalidade de regularidade, onde nas várias etapas terão de ser cumpridos determinados controlos de velocidade e médias e serão aplicadas penalizações.

O presidente da comissão organizadora anunciou que a prova será completamente inovadora em relação à atribuição de prémios. Assim, com o objetivo de envolver de uma forma mais ativa as comunidades de cada um dos municípios, para além da habitual classificação geral final, haverá um vencedor por concelho, para as provas específicas realizadas em cada um dos cinco municípios que integram a AMAVE: Fafe, Guimarães, Vizela, Santo Tirso e Vila Nova de Famalicão.

Por seu lado, o Presidente da AMAVE e da Câmara Municipal de Fafe, Raul Cunha, destacou a importância que a região tem no contexto da competição automobilística, tanto a nível nacional como internacional, e salientou serem cada vez mais consistentes as políticas que a AMAVE, e os municípios que a integram, têm vindo a colocar em prática no que concerne à defesa ambiental, designadamente em relação à mobilidade.

A prova tem um percurso total de 222,35 km, repartidos por 5 etapas.

Raul Cunha frisa que os políticos, e em particular os autarcas, pela sua proximidade com as populações “têm obrigações de conservar o planeta e deixar aos filhos e netos um planeta onde possam viver melhor do que o que está atualmente”.

Num momento em que a questão da pegada carbónica e da emergência energética estão na ordem do dia, o Presidente da AMAVE referiu ainda o casamento que esta prova procura “entre um desporto que tem muita adesão nesta região e uma preocupação ecológica de contribuir para não poluir o ambiente”.

A prova, organizada pelo Classic Clube de Portugal, com um percurso total de 222,35 km, repartidos por 5 etapas, contará com 52,159 km disputados em 14 setores seletivos.

A prova está limitada à participação de 20 equipas concorrentes, cuja inscrição será considerada por ordem de chegada.

Com um programa de três dias, toda a informação do evento está disponível aqui.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of