O operador de autocarros de longa distância na Europa FlixMobility está a investir em tecnologias de combustíveis alternativas.

A empresa prepara-se para testar autocarros movidos a hidrogénio em trajetos de longa distância, tornando-se na primeira empresa no mundo a fazê-lo.

Para criar este projeto focado em sustentabilidade e mobilidade sem emissões de CO2, a firma irá trabalhar com os especialistas em tecnologia da Freudenberg Sealing Technologies, com sede na Alemanha.

As discussões iniciais com os produtores para desenvolver os autocarros neste sentido já arrancaram.

O verde não é apenas a cor dos autocarros e comboios da FlixMobility. Graças a uma frota moderna e elevada capacidade, os autocarros de longa-distância são um dos meios de transporte mais ecológicos disponíveis atualmente. Agora, a

André Schwämmlein, fundador e CEO da FlixMobility, refere que “viajar de autocarro em longas-distâncias poupa cerca de 80% de emissões comparativamente a uma viagem de carro. Ainda assim, continuamos a perguntar-nos como é que poderemos tornar as viagens ainda mais sustentáveis. Depois de lançar três autocarros totalmente elétricos com sucesso, queremos agora desenvolver os primeiros autocarros movidos a hidrogénio, em conjunto com a tecnologia da Freudenberg, de forma a estabelecer mais um marco na história da mobilidade”.

A FlixMobility é uma jovem operadora de mobilidade que oferece novas alternativas para viagens confortáveis, económicas e ecológicas através das marcas FlixBus e FlixTrain.

“Os primeiros E-bus em França e na Alemanha foram produzidos pela BYD e Yutong da China. A tecnologia de hidrogénio é agora uma oportunidade para os produtores de autocarro europeus que, assim, poderão participar no futuro da mobilidade sustentável. As primeiras conversações com os produtores de autocarros já se iniciaram para o projeto de autocarros movidos a hidrogénio da FlixBus”, refere este operador.

Os veículos movidos a hidrogénio poderão percorrer cerca de 500 km antes de reabastecer. O reabastecimento deverá levar um máximo de 20 minutos, uma vez que estará a ser colocado hidrogénio em vez de Diesel. O desempenho deste tipo de autocarros, como a potência e aceleração, estará em linha com os padrões dos atuais autocarros de longa-distância.

Claus Möhlenkamp, CEO da Freudenberg Sealing Technologies, declara que “um sistema híbrido que combine baterias com células de combustível de forma inteligente é especialmente prático para veículos pesados que fazem longa distância, uma vez que veículos puramente elétricos ainda não têm alcance para cobrir longas distâncias”.

Testar para depois generalizar

“Na primeira fase do projeto de células de combustível da FlixBus, uma parte representativa da frota será equipada com a tecnologia como teste piloto. No futuro, esta é a forma como queremos contribuir significativamente para reduzir o CO2 no tráfego nas ruas. Aquilo que fazemos em conjunto com a FlixMobility nas estradas europeias, será um passo inovador para outros setores de mobilidade também”, completa Möhlenkamp.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of