No passado dia 6 de setembro, teve lugar em Barcelona o Fórum de Líderes, promovido pela Associação Internacional de Transportes Públicos (UITP) da qual várias entidades públicas e privadas portuguesas são membros, casos do Metropolitano de Lisboa, Metro do Porto, Metro de Coimbra, STCP, Carris, Efacec, entre outros.

Fazem parte do UITP as seguintes entidades portuguesas: Arriva Portugal; Associação Nacional de Transportes de Passageiros; Caetano Bus – Fabricação Carroçarias; Card4b Systems; Companhia Carris de Ferro de Lisboa; Efacec Engenharia e Sistemas; Indra Sistemas Portugal; Instituto da Mobilidade e dos Transportes; Laboratório Nacional de Engenharia Civil; Link Consulting Tecnologias de Informação; Metro do Porto; Metro Mondego; Metropolitano de Lisboa; Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações; Scotturb Transportes Urbanos; Sener Engivia; Siscog-Sistemas Cognitivos; STCP – Sociedade de Transportes Coletivos do Porto; Tecnocomport – Tecnologia e Informática; Tis.Pt, Consultores em Transportes Inovação e Sistemas; Transdev Mobilidade; Transportes de Lisboa; Transportes Sul do Tejo; Transportes Urbanos de Braga Empresa Municipal; e Transtejo – Transportes Tejo.

Este evento contou com a participação dos responsáveis de 40 organizações de transporte público de 23 países, para um debate sobre temas relacionados com a mobilidade urbana sustentável, do qual resultou uma declaração comum sobre o combate às alterações climáticas e o compromisso, por parte destes operadores de transporte, em fornecer soluções sustentáveis de mobilidade urbana a milhões de passageiros de todo o mundo, com o objetivo urgente de redução de gases de efeito estufa em 45% na próxima década e a compensação de emissões zero até 2050.

O Fórum de Líderes da UITP, no qual o Metropolitano de Lisboa foi um dos participantes ativos, apelou aos líderes políticos para a implementação de um plano configurado em quatro etapas distintas:

1. Dar prioridade a ruas acessíveis, seguras, respiráveis e caminháveis, a partir do planeamento urbano;
2. Fortalecer o papel do transporte público como a espinha dorsal de todos os serviços de mobilidade;
3. Garantir apoios financeiros para mais investimento em veículos elétricos e outros veículos movidos a combustível limpo, de forma a reduzir as emissões de gases prejudiciais ao ambiente;
4. Garantir que as fontes de energia renováveis estejam acessíveis e que são atribuídos apoios para a construção de instalações de energia renovável.

“A participação do Metropolitano de Lisboa no Fórum de Líderes consubstancia um compromisso em fornecer soluções progressivamente mais sustentáveis de mobilidade urbana aos cerca de 600 mil clientes que diariamente transporta na sua rede”, afirma em comunicado o Metropolitano de Lisboa.

O Metro de Lisboa assumiu compromisso para enfrentar os desafios da mobilidade urbana garantindo cidades verdes, saudáveis e sustentáveis.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of