O Constálica Rallye de Vouzela, que se realiza a 21 e 22 de setembro, será o primeiro evento a dar corpo ao projeto “RACE 4 ECO” da FPAK (Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting), que pretende reduzir a pegada ecológica resultante da organização de eventos de desporto motorizado, através da sensibilização e ação efetiva junto de praticantes e público.

O projeto já captou a atenção da Federação Internacional do Automóvel (FIA), com acompanhamento das ações no terreno e recolha de dados do projeto para que tenha continuidade no futuro.

este será o primeiro rali com o selo RACE 4 ECO da FPAK.

Com a consciencialização para as questões ambientais e de sustentabilidade ecológica, a estarem cada vez mais na ordem do dia, a Hyundai Portugal resolveu aceitar o desafio que lhe foi lançado, disponibilizando à organização da prova viaturas da sua gama ecológica com três tipos de motorizações eletrificadas diferentes, nomeadamente o Ioniq Electric, Plug-in e Hybrid e o Kauai Electric.

Armindo Araújo e Luis Ramalho, atuais campeões nacionais de ralis, terão funções de carro 0 no primeiro rali com o carimbo “RACE 4 ECO” da FPAK.

O Constalica Rally Vouzela é organizado pela Promolafões e Associação Gondomar Automóvel Sport. Realiza-se na região de Lafões, Vouzela. O arranque está marcado para as 21h30 de dia 21 de Setembro com uma super-especial noturna.

“A nossa associação a este evento é uma forma de conjugarmos dois dos pilares da marca, desde logo os ralis e o projeto ‘Team Hyundai Portugal’ que se faz aqui representar pelos campeões nacionais em título, Armindo e Luís, e a mobilidade ecológica onde a Hyundai se afirma como marca líder com a mais ampla gama de motorizações eletrificadas da Europa,” afirma Sérgio Ribeiro, CEO da Hyundai Portugal.

Com o intuito de minimizar o impacto da prova no meio ambiente, a organização do rali conta ainda utilizar matérias-primas biodegradáveis em todos os materiais a produzir e disponibilizar ecopontos, num esforço especial na gestão dos resíduos produzidos em torno do evento.

“Sobre as preocupações e objetivos do projeto que vão levar a cabo na redução do impacto ambiental que o rali provoca, destaco como um exemplo a seguir e que espero possa ser replicado em outras provas e por outros associados da FPAK”, refere Ni Amorim, presidente da FPAK.

“A ideia de irmos a um destino, com boas práticas associadas a um evento, com responsabilidade ambiental, social e cívica é cada vez mais relevante, e aqui, Vouzela está também um passo à frente, e agora com chancela verde. Esta é uma tendência dos mercados, e os turistas preferem destinos com contacto e respeito pelo meio ambiente” – Pedro Machado, Presidente do Turismo Centro de Portugal.

 

 

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of