Com os veículos elétricos, o próprio processo de desenvolvimento e produção de um automóvel sofre mudanças, desde logo ao nível do design.

O concept car Tavascan, um SUV 100% elétrico, serviu como pretexto para a Cupra explicar algumas dessas modificações, novidades e nuances que o mundo dos EV traz para o modo de pensar e conceber uma viatura.

Aerodinâmica

“Ao projetar um modelo elétrico, o desafio mais importante é a eficiência aerodinâmica”, explica Alberto Torrecillas, designer externo da Cupra.

É nesse enquadramento que surgem no corpo do protótipo, asas e apêndices. “Tudo é esculpido com a intenção de dar alma ao veículo. Não há nada que pareça ser feito por uma máquina, os apêndices nascem como se fossem um músculo que aparece do próprio corpo e define os extremos do SUV coupé da Cupra. Desta forma, obtém-se uma menor resistência ao ar e aumenta-se a autonomia”.

Materiais leves

Os carros elétricos acrescentam um novo elemento essencial para o seu funcionamento, as baterias.

No Tavascan as baterias ocupam o espaço debaixo do veículo. Devido ao peso das baterias, trabalhar com materiais leves torna-se, por isso, uma prioridade para os designers.

“Todo o concept é feito de fibra de carbono, pois este é o material que queremos usar para representar o conceito de peso leve”, refere Torrecillas.

Rodas

A redução de peso está diretamente ligada à obtenção de maior autonomia. Também por esse motivo, as jantes desempenham um papel decisivo.

No caso do Tavascan, as jantes de 22 polegadas possuem peças de cobre e coberturas sobrepostas em fibra de carbono para ajudar a canalizar o ar e resfriar os freios.

“Ao desenhar um automóvel elétrico, a travagem e a poupança de energia são muito importantes e as jantes são um componente chave”, afirma o designer de exteriores da Cupra.

Grelha

Se há uma coisa que define a aparência dos novos modelos elétricos é a sua frente, pois desaparece a grelha de ventilação, que é necessária nos carros de combustão e dispensável com essa finalidade nos EV.

ao dispensarem as grelhas de ventilação, os EV redefinem todo o processo criativo.

“A frente é um conceito completamente novo. É projetado com grandes entradas de ar, todas funcionais. Há duas entradas que esculpem toda a secção da frente que canaliza o ar e uma cortina de ar que o direciona e expulsa através do capot”, diz Torrecillas.

A traseira também perde um dos elementos mais reconhecíveis dos carros de combustão: o tubo de escape. “Este fator ajuda-nos a alcançar uma simetria perfeita”, diz o designer.

Interior

O interior de um modelo elétrico também representa um desafio para os designers.

As baterias ocupam espaço, mas ao mesmo tempo a habitabilidade e o conforto devem ser preservados.

“Para maximizar o espaço, desenhámos um interior com quatro bancos desportivos em fibra de carbono e jogámos com elementos leves, como a aba do painel de instrumentos flutuante ou as duas consolas centrais”, afirma Marc Franch, designer de interiores da Cupra.

Para ajudar a criar uma sensação de amplitude, as cores e os materiais são relevantes: “Usamos napa branca tanto nos bancos como no topo do painel flutuante para alcançar esta sensação. A luz ambiente, exclusiva deste concept, faz com que a superfície pareça flutuar, contrastando com o piso de neopreno preto”, diz Frederik Baumann, designer de equipamentos e cores.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of