O Metropolitano de Lisboa aprovou a adjudicação do concurso para a empreitada de ampliação e reformulação da estação de Arroios ao consórcio constituído pela Domingos da Silva Teixeira (DST), Efacec, DTE Instalações Especiais e Cari Construtores por cerca de 6,67 milhões de euros, a que acresce IVA.

Sabia que…
… mais de 600 mil clientes utilizam diariamente o Metro de Lisboa?

O contrato, cuja assinatura deve ocorrer muito em breve, deverá de seguida ser remetido para visto prévio do Tribunal de Contas, prevendo o Metropolitano que a consignação da empreitada ocorra até ao final deste ano.

As obras terão uma duração estimada de 18 meses, após a data da consignação.

No início do ano, o Metro de Lisboa decidiu rescindir o contrato com o empreiteiro da obra da estação de Arroios, alegando incumprimento por parte da Opway. Assim, tomou posse administrativa de uma obra que deveria estar concluída no segundo semestre de 2019. A estação de Arroios está encerrada desde o verão de 2017.

A reabilitação da estação de Arroios destina-se a ampliar o cais da estação de 70 para 105 metros. O intuito é que esta estação da linha verde passa a receber composições de seis carruagens.

Elevadores para facilitar acesso

Entre outros trabalhos de melhoria conta-se a reformulação dos átrios e a introdução de elevadores para acesso a pessoas de mobilidade condicionada.

Entretanto, a partir de hoje, 9 de setembro, vai ser possível pedir o cartão Lisboa Viva urgente (24h) em dois novos postos de venda temporários no Metro, nas estações de Entre Campos e S. Sebastião (Linha Vermelha), para além dos postos de atendimento habituais existentes nas estações do Marquês de Pombal e do Campo Grande.

Esta medida é, contudo, temporária e, de acordo com o Metropolitano de Lisboa, visa “reduzir as habituais filas de espera que se formam nesta época, aumentar a capacidade produtiva de cartões Lisboa Viva”.

 

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of