Menos camiões nos centros das cidades e transporte de mercadorias através de tubos no subsolo? A start-up Smart City Loop, com sede em Colónia, está a trabalhar na implementação dessa visão que permitiria que as mercadorias fossem transportadas através de tubos subterrâneos, da periferia para o interior das cidades.

De acordo com os autores da ideia, “isto não é tecnologia espacial”, dado que o tipo de tubos que a start-up Smart City Loop pretende lançar para o transporte de mercadorias já existe há muito para diferentes finalidades, incluindo para saneamento.

Os resposáveis da Smart City Loop referem que o seu projeto não tem nada a ver com tecnologia futurista, como o Hyperloop, de Elon Musk, que tem como objetivo transportar passageiros no vácuo à velocidade do som.

O pressuposto desta startup é o de que tubos com um diâmetro de 2,80 metros possam ser usados ​​para transportar as entregas de paletes, por via subterrânea, dos centros de fornecimento de bens nos arredores das cidades para micro-centros de distribuição nos centros das cidades.

A partir daí, os bens seriam encaminhados da maneira mais sustentável possível, utilizando quando possível bicicletas de assistência elétrica ou camiões a hidrogénio.

Penúltima milha

Em termos logísticos, a Smart City Loop pretende fornecer uma solução para a “penúltima milha” em complemento para a “última milha”.

Ainda de acordo com esta startup, o conceito Smart City Loop pode ser usado tanto para entregas feitas por comércio eletrónico, como para entregas tradicionais.

O Smart City Loop poderia ser usado para transportar todos os tipos de mercadorias que podem ser carregadas em paletes padrão.

Para garantir que bens mais perecíveis, como bebidas ou comidas, cheguem em perfeitas condições, um intervalo de temperatura entre 14 e 18 graus seria mantido nos tubos.

Nos cálculos do modelo, o Smart City Loop é baseado em cerca de 5000 paletes que podem ser transportados diariamente em operações em dois turnos.

Os tubos seriam colocados a cerca de dez metros abaixo do solo.

A empresa está atualmente a realizar um estudo de viabilidade em Hamburgo. Nesse sentido, um tubo deverá ser colocado do distrito de Wilhelmsburg para Altona, o que implicará a travessia do rio Elba, obrigando nesse caso a que os tubos sejam enterrados a uma profundidade de 25 a 30 metros.

Este estudo será desenvolvido para a empresa Four Parx.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of