Fiat Centoventi Concept: a antevisão do próximo Panda.

A Fiat está internamente a elaborar um plano de reformulação da sua gama de modelos.

E assumindo que a sua força de mercado está no segmento A, a marca italiana vai desenvolver os seus futuros produtos em torno de dois modelos: o 500 e o Panda.

Na estratégia delineada os veículos elétricos vão ocupar um papel central, o que significa que teremos variantes elétricas do 500 e do Panda.

500 EV para 2020

A ideia é que o 500 EV se apresente como o rosto premium do construtor no segmento A, ao passo que o Panda EV figurará como a versão BEV mais acessível da marca.

Os modelos elétricos vão permitir ao Grupo Fiat reduzir a sua média de emissões na Europa, desempenhando um papel crucial para o Grupo ficar dentro dos parâmetros definidos pela União Europeia.

As informações disponíveis de momento indicam que o 500 elétrico deverá ver a luz do dia na segunda metade de 2020, sendo de esperar que a Fiat desvende o modelo publicamente no salão automóvel de Genebra, em março próximo.

Não há dados precisos sobre a mecânica do 500 EV, nem tão pouco sobre preços, ainda que, na nossa perspetiva, não será de estranhar um valor entre os 30 e os 35 mil euros (o que o colocaria alinhado com o Honda e). Mas, sublinhe-se, é uma mera estimativa.

A carroçaria do 500 EV será de cinco portas, estando igualmente disponível numa variante descapotável.

Panda EV para 2023

Por seu lado, o Panda sofrerá uma grande revolução. A nova geração do modelo está prevista para 2021, com a sua versão 100% elétrica a chegar aos concessionários em 2023.

O novo Panda irá basear-se no Centoventi Concept (3,68 metros de comprimento), um projeto que em 2015 foi colocado de lado pelo ex-CEO da marca, Sergio Marchionne, e que foi recuperado por Olivier François, diretor executivo de Fiat, depois de ter recebido “luz verde” por parte do novo nº1 da Fiat Chrysler Automobiles, Mike Manley.

O novo Panda “será um Model T com uma carcaça para iPhone”, dizem os responsáveis da Fiat.

Olivier François considera que a inspiração para este Panda foi o Ford Model T. “Mas um Model T com uma carcaça para iPhone”, refere com algum humor.

Módulos de baterias

Para conseguir um preço de acesso mais acessível, o Panda elétrico disporá de um sistema de baterias modulares. Deste modo, de série contará com um pack com o qual alcançará 100 km de autonomia, havendo mais quatro packs de módulos, cada um dos quais acrescentando 100 km de autonomia extras.

Isto significa que o cliente do Panda EV poderá optar por autonomias que vão de 100 km a 500 km.

Nesse quadro, o cliente – e de acordo com as suas necessidades – poderá também vir a adquirir posteriormente outros módulos de baterias que lhe aumentem o alcance do veículo, caso conclua que precisa de mais. Esses módulos podem ser comprados ou alugados.

Segundo as informações disponíveis, o novo Panda irá teoricamente sair de fábrica com uma única cor de carroçaria, ainda que, na prática, isso não sucederá, pois, através do programa de personalização “4U” da Fiat e da Mopar, será possível adquirir diversos acessórios que se afixarão à carroçaria como peças de Lego: molduras para as portas, coberturas para as jantes, embaladeiras, para-choques, diferentes tipos de teto, entre outros. No fundo, irá manter as premissas do protótipo Centoventi e lançará a marca numa nova era: digital, moderna e elétrica.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of