Foi revelado ontem em Estugarda, o EQV, o novo furgão elétrico Mercedes-Benz. Após a apresentação, em 2018, dos eVito e eSprinter, a gama elétrica de furgões do construtor fica agora mais completa. Este é o primeiro modelo da Mercedes-Benz Vans dirigido tanto a clientes empresariais como a clientes particulares.

O EQV utiliza a plataforma do novo Classe V, disponível com motorizações a gasóleo e gasolina. Aproveita o piso do habitáculo e o espaço inferior utilizado pelo sistema de escape, para colocar a enorme bateria. Esta é composta por um módulo especifico, ao contrário dos eVito e eSprinter, que usam módulo-tipo de aproximadamente 14 kWh. A solução adotada permite manter as mesmas cotas espaciais do Classe V no interior.

Disponível em dois tamanhos — com 5,14 e 5,37 m — o EQC pode transportar seis ocupantes em lugares individuais. Em alternativa, utilizando um ou dois bancos corridos, disporá de sete ou oito lugares.

Carregamento rápido até 110 kW

Revelando uma ambição de veículo elétrico com alcance acima da média, o EQV dispõe de um pack de 100 kWh. Este valor continua, para já, a ser a referência, no que diz respeito aos modelos atualmente em produção. A título provisório, é apontado um alcance máximo de 405 quilómetros. A capacidade útil é de 90 kWh, mantendo um buffer de 10%, valor que, segundo a Mercedes-Benz, assegura a durabilidade, segurança e eficiência do pack.

 

O EQV tem tração dianteira e conta com um motor de 150 kW (204 cv) e um binário máximo instantâneo de 362 Nm. A velocidade máxima é de 160 km/h. O valor de consumo combinado estimado é de 27 kWh/100 km. A confirmar-se, o alcance equivalente rondaria os 330 km, ainda assim, um valor interessante para um veículo com estas características. Em cidade poderá ser possível reduzir o consumo para próximo dos 20 kWh/100km, proporcionando assim mais de 400 km de alcance.

O EQV dispõe de um carregador AC embarcado de 11 kW, com refrigeração líquida. Adicionalmente, permite carregamento em DC até 110 kW. Nesta modalidade, é possível carregar a bateria dos 10 aos 80% em menos de uma hora.

A ficha de carga utiliza o padrão CCS e está localizada no pára-choques dianteiro, do lado esquerdo.

Recuperação constante de energia 

Tanto a acelerar como a travar, o EQV consegue recuperar energia, que contribui para o maior alcance possível. A rotação mecânica é convertida em energia elétrica e devolvida à bateria. O condutor pode ter uma intervenção ativa neste processo, selecionando o nível de recuperação mais adequado em cada situação, utilizando duas patilhas atrás do volante. A da esquerda aumenta o nível de recuperação, enquanto a da direita o diminui. No modo de recuperação mais forte, o pedal do travão quase se torna redundante, já que, ao aliviar o acelerador, o automóvel praticamente se imobiliza.

Existe um modo automático para a regeneração de energia, que auxilia o condutor a maximizar a recuperação, combinando informação de navegação, reconhecimento dos sinais de trânsito e informação fornecida pelos sistemas inteligentes de ajuda à segurança, como o radar e câmara. Do mesmo modo, o sistema EQ com navegação otimizada também pode ajudar a chegar ao destino mesmo se falhar um ponto de carga.

O EQV é diferente no design e na experiência

No concurso interno realizado no departamento de design da Mercedes-Benz para traçar o EQV, o vencedor foi Hendrik Fries: “Fiquei muito satisfeito, mas foram vários os desafios a vencer. O meu objetivo era diferenciar o EQC do Classe V, que lhe serve de base. Concentrei-me mais na frente, apurando a grelha preta, com moldura cromada. Os flancos simples tem alguns apontamentos da linha EQ. No interior, para além do ecrã tátil de maiores dimensões, foi possível acrescentar alguns apontamentos em rosa dourado. Achamos que dá um toque mais acolhedor ao interior.”

A Mercedes-Benz adianta que a experiência de condução do EQV é um dos seus fatores de distinção. A ausência de ruído é uma delas, concorrendo para uma vivência a bordo refinada e confortável. Além disso, a colocação da bateria por baixo do piso assegura um centro de gravidade muito baixo, proporcionando um comportamento mais reativo. A reposta imediata do motor elétrico, com mais de 350 Nm de binário, também conferem desenvoltura e agilidade adicional. E tudo isto com a consciência mais tranquila, por utilizar um veículo com zero emissões locais.

Interface comandado por voz

O sistema de infotainment MBUX revela-se de imediato no ecrã central de 10’’ polegadas. Ali é indicada, entre outras informações, a carga disponível da bateria e o registo histórico de consumo. Também pode exibir o sistema de navegação e as funcionalidades do sistema Mercedes me Charge, bem como os modos de condução. Todavia, a principal novidade é o sistema de controlo por voz, que pode ser utilizado para solicitar funções como escolha do destino, chamadas telefónicas, seleção musical, escrever e ouvir mensagens, informações de meteorologia.

Com o sistema MBUX também é possível planear viagens a partir de casa ou do escritório ou climatizar o interior, graças à Aplicação Mercedes me.

Acesso a mais de 300 000 postos de carregamento

Através do sistema Mercedes me Charge, os clientes da marca têm acesso a um vasto número de pontos de carga públicos na Europa. Os clientes beneficiam ainda de um sistema de pagamento integrado, tornando todas as operações mais simples. Esta funcionalidade dá ainda acesso aos pontos rápidos da rede IONITY, particularmente útil em viagens mais longas. Está previsto que, no próximo ano, estejam ativos 400 destas estações de carregamento rápido junto às principais vias europeias.

Produzido em Espanha

O gestor de produto Markus Reis contou-nos: “Todos os componentes do motor, transmissão de relação fixa, carregador embarcado, sistema de refrigeração e componentes eletrónicos formam um conjunto muito compacto. Deste modo, ocupam sensivelmente o mesmo espaço do motor a gasóleo e respetivos acessórios. Isto permite uma uniformização do ponto de vista de produção entre as versões com motor Diesel e eléctrica.” Assim, o EQC pode ser produzido na fábrica de Vitoria, no norte de Espanha, onde são fabricados os Classe V e Vito.

O EQV vai ser apresentado ao público no salão de Francoforte, que decorre entre 12 e 22 de setembro. A sua comercialização terá início na primavera de 2020. Prevê-se que esta introdução seja feita em simultâneo nos vários mercados europeus. 

Não foi divulgado qualquer preço, mas o posicionamento como MPV (Multi Purpose Vehicle) Premium, faz esperar valores semelhantes aos do EQC, ou seja, valor-base acima dos 70.000 euros.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of