Cidades inteligentes feitas do zero estão a nascer no Brasil

0
732

Depois da cidade de Laguna, no distrito de Croatá, ter apostado na construção de uma cidade inteligente, é a vez do estado de Rio Grande do Norte, também no Brasil, ver nascer uma cidade inteligente, a Smart City Natal.

Esta “Cidade Inteligente Inclusiva” de Natal está localizada a 8 km do aeroporto internacional Governador Aluízio Alves, com lotes a variarem de 200 a 755 m2.

Subordinada ao conceito “Viver além de morar”, essa nova cidade é projetada pela Planet Smart City, unindo soluções inteligentes em quatro áreas-chave: pessoas; planeamento urbano e arquitetura; tecnologia; e meio ambiente.

Entre as soluções inteligentes em Natal estão um hub de inovação, uma app gratuita do bairro, videomonitorização em tempo real das áreas comuns, iluminação pública de LED, wi-fi grátis nas áreas públicas, espaços de desporto ao ar livre, ciclovias e hortas urbanas.

Teoria do Divertimento

Com área total de 170 hectares, a Smart City Natal iniciou a construção da primeira fase em março passado e até ao final do ano deverá receber os primeiros habitantes. Ao todo, serão investidos 140 milhões de reais brasileiros (31,3 milhões de euros).

Para além da tecnologia e do enfoque em áreas verdes, esta cidade inteligente desenvolveu formas criativas de estimular os mais novos a reciclarem e a fazerem um tratamento adequado de resíduos, colocando caixotes que são, ao mesmo tempo, cestos de basquetebol. “A lixeira utiliza a didática da Teoria do Divertimento – uma ferramenta de consciencialização que une educação e diversão”, explica a Planet Smart City.

“O projeto oferece equilíbrio entre áreas verdes, núcleos residenciais, comerciais e empresariais e mobilidade inteligente. As nossas cidades são projetadas para serem inclusivas, autónomas e vibrantes, por isso implementamos uma série de atividades como biblioteca, cinema, cursos gratuitos e redes online, que incentivam a economia compartilhada e um novo modo de viver em comunidade”, aponta Susanna Marchionni, CEO da Planet Smart City, no Brasil.

Otimizar custos

De acordo com os responsáveis da Planet Smart City, é possível otimizar custos de construção e de infraestrutura, aproveitando os benefícios económicos oferecidos pelos sistemas de energia renovável, como energia solar e reutilização de água de chuva. “A tecnologia tem papel fundamental na cidade inteligente inclusiva, permitindo que ela seja mais interativa, segura, económica e eficaz no uso de recursos naturais”, sublinham os promotores da iniciativa.

“Para os moradores, isso tem impacto direto na redução de despesas e melhor manutenção dos serviços coletivos”, destacam os promotores do projeto.

O exemplo de Laguna

Projetada para receber 16 mil pessoas, a Smart City Natal segue as pisadas da Smart City Laguna que está a ser desenvolvida no Estado brasileiro do Ceará, numa área total de 330 hectares. Laguna, no distrito de Croatá, em São Gonçalo do Amarante, na região do Vale do Curu, já possui mais de 3 mil lotes vendidos, com uma previsão de conclusão para 2021. A Smart City Laguna terá cerca de 7 mil lotes, entre residências, comércio e empresas. Ali deverão viver cerca de 25 mil moradores que irão dispor de 620 mil metros quadrados de áreas verdes. A cidade conta também com iluminação inteligente, que reduz o consumo de energia, e pavimentos drenantes para aproveitamento de águas pluviais.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of