A concessionária de autoestradas VINCI Autoroutes e o Grupo PSA têm colaborado no desenvolvimento de veículos autónomos, com os mais recentes ensaios a consistirem na travessia de uma barreira de portagem em modo autónomo.

Foram testadas duas novas situações complexas de condução em total autonomia e em condições reais, na rede da VINCI Autoroutes:

  • a passagem, em modo autónomo, de uma zona de circulação temporariamente modificada, decorrente de trabalhos na via;
  • a realização de um “safe stop”, que consiste no direcionar do veículo até uma zona de segurança, num processo em que o condutor não assuma o controlo do veículo, numa determinada situação (como a presença excecional de um obstáculo na via ou condições meteorológicas muito adversas) ou caso se tenha atingido o final da autoestrada.

Esta operação é parte integrante de uma colaboração entre os dois parceiros, estabelecida desde 2016.

Estes testes decorreram entre as localidades de Dourdan e Ablis (A10/A11) recorrendo-se a um protótipo Peugeot 3008, parte da frota de veículos autónomos do programa AVA – Autonomous Vehicle for All.

Carla Gohin, Chief Technology Officer do Grupo PSA, sublinha que este passo suplementar “traduz-se, dois anos após a primeira experiência, numa crescente integração de constrangimentos em situações de utilização, assistindo-se a um reforço da comunicação entre o veículo autónomo e a infraestrutura, de modo a expandir o campo de ação do sistema, garantindo a sua segurança”.

Pierre Coppey, presidente da VINCI Autoroutes e diretor-adjunto da VINCI, entende, por seu lado, que “a infraestrutura de autoestradas inteligentes é um recurso essencial para o desenvolvimento do veículo autónomo, permitindo enriquecer os dados contextuais transmitidos ao sistema de orientação de modo a otimizar o processo de tomada de decisão do veículo e da sua trajetória”.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of